Vale um parabéns atrasado? Pois bem, Vera Fisher completou, ontem, 64 anos, esplendorosa que só. E se houve velinhas, elas foram sopradas na capital mineira, já que a atriz apresenta logo mais, no Grande Teatro do Palácio das Artes, a peça “Relações Aparentes”, ao lado de Tato Gabus Mendes.
 
“O grande trunfo dessa comédia, e também o mais sedutor, é a capacidade de se comunicar com a plateia. Dono de um humor fantástico, uma ironia inteligente, o autor (o inglês Alan Ayckbourn) passeia com seus personagens diante do público, tornando-o cúmplice de tudo que ele está assistindo. É simplesmente genial”, diz Vera, que volta aos palcos após um longo hiato. “Minha última peça foi ‘Porcelana Fina’, encenada em 2006, com supervisão da Bibi Ferreira. Estava, portanto, há nove anos afastada dos palcos. Parece que foi ontem!”, diz a bela.
 
Dirigida em conjunto por Ary Coslov e Edson Fieschi, a peça traz Vera dividindo a cena também com Michel Blois e Anna Sophia Folch.
 
Vera Fischer fala de sua personagem: “Sheila é uma mulher que, apesar de a história se passar em 1965, pode ser perfeitamente encontrada nos dias de hoje”. Uma mulher que luta pelo seu casamento. “Que quer ser vista, quer ser notada pelo marido, e que, como mulher, também é capaz de tecer uma teia de aparências para atingir seus objetivos”.
 
A atriz conta que os diretores serviram bem ao texto, “pontuando a ironia e o humor dos personagens, como pede uma boa comédia inglesa”. Quanto aos colegas, ela lembra que já havia trabalhado com Tato em “Perigosas Peruas”, na TV. “Ele é um ator preciso, com um humor bem à moda inglesa, e isso é muito bom. Anna e Michel completam o elenco com muita graça e carisma”.
 
Linda e poderosa
 
Ah, sim. Sobre os comentários maldosinhos que pipocaram em alguns sites da internet, após Vera ter sido flagrada em um ângulo não muito propício (e quem nunca foi?), ela é peremptória. “Não perco meu tempo com bobagens e maldades. Me sinto muito bem, e recebo muitos elogios na rua. O público me adora, faz questão de demonstrar seu carinho por mim e isso é o que importa”. Punto e basta.
 
- Ambientada na Londres de 1960, a peça narra os desencontros vividos entre dois casais
 
“Relações Aparentes” – Hoje, às 21h. Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1537). Livre. 90 min. Plateia I e II: R$ 60 e R$ 30 (meia). Plateia Superior: R$ 50 e R$ 25 (meia). Vendas: ingresso.com. Call center: 4003-2330. Informações: 3236-7400