Eleita com o maior número de votos na história da Câmara Municipal de Belo Horizonte, no pleito de 2020, a vereadora Duda Salabert anunciou, neste sábado (6), em seu perfil no Instagram, que foi demitida da instituição de ensino onde trabalhava, em Belo Horizonte.

Em dezembro passado, Salabert denunciou que vinha sendo sofrendo ameaças de morte. "É uma estratégia não só para me intimidar, como também para forçar que a escola me demita", postou na época. A direção da escola também foi alvo das ameaças.

Na postagem deste sábado, a vereadora observou que seria muito difícil voltar a dar aulas numa escola particular, já que "há um grande preconceito estigmatizante que impedirá minha contratação pelo fato de eu ser trans". 

Ela observou que, durante a pandemia, com a sua imagem entrando na casa dos alunos por conta das aulas remotas, "causou desconforto em mentes preconceituosas".

Salabert revelou o desejo de abrir uma escola popular após a vacinação contra a Covid-19.  "Se as escolas não me aceitarão no futuro, faço eu minha escola popular", adiantou.

Em nota, o Bernoulli justificou a demissão como uma decorrência da nova atividade da professora. "Reconhecendo o alto envolvimento de Duda e a dedicação com que busca exercer sua nova atividade, e a imprevisibilidade de compromissos que cargos públicos como esse podem ter, não nos sentimos seguros de que todos os nossos cronogramas seriam integralmente cumpridos com a disponibilidade que nossa instituição exige".

A instiituição ressalta a "imensa contribuição dada por Duda na formação de milhares de alunos que passaram por nossa escola por todos esses anos" e deseja à vereadora "sucesso e realizações para ela em sua nova trajetória".

Nas redes sociais, Salabert afirmou que nunca tinha sido demitida antes e que dar aulas é uma de suas grandes paixões. "A política sempre ocupou meu tempo, mas nunca faltei a uma aula por causa da política e nunca dei uma aula sem me entregar ao máximo", postou.