O Projeto de Lei 274/17, conhecido como Escola Sem Partido, deve ser votado nesta segunda-feira (14). Se por um lado a oposição diz que as expectativas são “as piores possíveis”, a bancada cristã classifica a possibilidade como uma “esperança”. O projeto tem travado as pautas da Casa desde o começo deste mês.

Mesmo com portas fechadas para o público, os vereadores debatem sobre os últimos três requerimentos para, enfim, votar o projeto. Da bancada cristã, Wesley Autoescola (PRP) está otimista que eles devem ser votados ainda nesta última sessão ordinária do mês. “Mas, tudo depende do que a esquerda vai fazer hoje”, disse o parlamentar.

“A frente cristã está pronta para votar. O único acordo que iremos aceitar é o da votação direta do PL”, defendeu Wesley. Segundo ele, se votado hoje, receberá um “sim” de pelo menos 24 vereadores. “É um projeto de discussão a nível nacional”, complementou.

Impedimento

Enquanto isso, os vereadores de oposição ao Escola sem Partido – que têm obstruído a votação –, usam a tribuna para criticar o PL e cobrar a entrada de manifestantes na galeria. “É das piores possíveis (expectativa). Estamos cercados de policiais que estão proibindo os manifestantes de entrar”, falou Gilson Reis (PCdoB), contrário à proposta.

“Não podemos nunca permitir esse Estado de exceção, totalitário, que teria a população do debate para impor regras”, lamentou.