A Polícia Civil prendeu um vereador e o diretor da Câmara Municipal de Itabira, na região Central do Estado, suspeitos de participação no esquema conhecido “rachadinha”, prática pela qual parlamentares se apropriam de parte dos salários de funcionários que nomeiam para seus gabinetes. 

Segundo a corporação, os dois tiveram a prisão preventiva decretada nesta terça-feira (2), porque ficou comprovado que os investigados estariam coagindo as testemunhas a não falarem o que sabiam.

As investigações continuam com o objetivo de concluir o inquérito policial, que está em andamento desde 2018.

Procurada, a assessoria da Câmara Municipal não atendeu às ligações. A reportagem não conseguiu falar com os advogados dos parlamentares.