Em meio a camisas da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e adesivos do Partido dos Trabalhadores (PT), até os cães têm sido usados como “cabos eleitorais”.

A reportagem do Hoje em Dia flagrou diversos eleitores com o “amiguinho” adesivado nas principais seções de Belo Horizonte.

E apesar da “divisão eleitoral”, eles são bem pacíficos. Tanto é que, mesmo quando muitos estavam juntos, como no colégio Arnaldo e no Estadual Central, houve quietude. A única “ocorrência” vista pela reportagem foi um buldogue que apelou com a aproximação de um vira-lata, no Estadual Central.

“Acho que o clima das eleições deu uma acirrada nos ânimos dele", disse a estudante Fabiana Menezes, de 23 anos, dona do animal. Ela teve que sair do prédio da escola por um tempo para acalmá-lo.

Na maioria das seções, contudo, os animais - muitos deles adesivados - não causaram tumulto e até divertiram crianças e idosos. “A gente traz eles pra que passeiem um pouco e acaba aproveitando pra estampar o voto. Desestressa a gente e eles”, comentou a enfermeira Luciana Santos, de 33 anos.

Segundo os fiscais do Tribunal Regional Eleitoral, não há proibição para que eleitores levem animais para votar, mas é recomendado que, na hora do voto, haja um acompanhante para controlá-lo e evitar tumulto, especialmente se o bicho for de grande porte.

Leia mais:

Brasileiros no exterior demonstram sua preferência na hora de votar

'Ganhe quem ganhar', é preciso ter 'Constituição respeitada', diz FHC

Rosa Weber tem segurança reforçada para votar