O ex-prefeito de Uberaba, deputado federal Marcos Montes (PSD-MG), foi indicado secretário da Agricultura pela futura ministra da Pasta, Tereza Cristina (DEM-MS), no governo de Jair Bolsonaro (PSL). Montes é o segundo mineiro anunciado para primeiro escalão do Planalto.

O anúncio foi realizado nesta terça-feira (27) na Frente Parlamentar da Agricultura, presidida atualmente por Tereza. O deputado esteve à frente do grupo entre 2015 e 2016.

Nas últimas eleições, Montes foi vice na chapa de Antonio Anastasia (PSDB). Embora tenham sido considerados preferidos, eles foram surpreendidos pela ascensão meteórica de Romeu Zema (Novo), que saiu de 4% no início do primeiro turno para 71,8% dos votos válidos no segundo turno. Anastasia fechou com 28,2%.

Polêmica
Durante a campanha, Marcos Montes levantou polêmica quando, ainda no primeiro turno, descartou a participação do tucano Geraldo Alckmin na reta final das eleições e declarou apoio a Bolsonaro. 

A afirmação foi feita durante reunião com correligionários em Patrocínio, no Alto Paranaíba. Na ocasião, o deputado disse, ainda, que Anastasia também deveria apoiar o capitão do exército. O senador se manteve neutro até o final das eleições.

Minas no Planalto

Dono da Localiza, o empresário Salim Mattar, aceitou o convite para comandar a Secretaria de Privatizações, que será vinculada ao Ministério da Fazenda. O órgão será responsável pelos projetos de desestatização e desinvestimentos.

Já o deputado federal Jaime Martins (PROS) pode ser o terceiro mineiro a integrar um dos ministérios do novo governo federal.