Pelo menos 20 escolas particulares de Belo Horizonte informaram que não vão ter aulas em função da paralisação de diversos servidores públicos nesta quarta-feira. De acordo com o Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (Sinepe-MG) muitas escolas anunciaram que vão repor o dia ainda no próximo sábado (18).

“Devido ao forte clamor das mídias sociais, da imprensa e da sociedade em geral, fica difícil para nós, diretores, assumirmos a responsabilidade e a segurança de todos os nossos alunos, principalmente se o transporte público estiver interrompido nesta quarta-feira (15). Por essa razão, e devido a várias instituições de ensino já terem assumido a sua paralisação, orientamos que cada escola avalie com pais, professores e funcionários e comunique a seus alunos e responsáveis a decisão por parar ou não no dia 15 de março.  Informamos que, se for o caso, deverá ser comunicado também, aos pais e responsáveis, a data para a reposição dessa paralisação”, informou o Sinepe, por meio de nota.

Valeria Morato, presidente do Sindicato dos Professores das Escolas de Minas (Sinpro-MG), que representa as instituições particulares do estado, disse que é o momento das escolas ocuparem as ruas e dialogarem. “É nossa responsabilidade, inclusive, com os pais dos nossos alunos e com nossos alunos de barrar a reforma da Previdência”, afirmou.

Lista das escolas particulares que estarão fechadas nesta quarta-feira (15)*

Colégio Santo Antônio

Colégio São Paulo

Colégio Colibri

Colégio Loyola

Colégio Dom Silvério

Colégio Santo Agostinho

Colégio Santa Doroteia

Colégio Sagrado Coração de Jesus

Colégio Magnum

Colégio Padre Eustáquio

Colégio Santa Maria

Colégio Nossa Senhora das Dores

Colégio Pitágoras

Colégio Batista

Instituto Isabela Hendrix

Colégio Pio XII

Colégio Bernoulli,

Colégio Padre Machado

Escola da Serra

Instituto Casa Viva

 

*Lista divulgada pelo Sinpro-MG, até o fechamento desta matéria


Leia mais:
MST de Minas ameaça quebrar 'cadeados de fazenda' de deputados favoráveis à reforma da Previdência
Após anúncio de paralisação, CBTU cobra na Justiça escala mínima dos metroviários
Transporte, saúde e educação podem parar em BH nesta quarta-feira