O senador eleito Carlos Viana e os deputados estaduais Zé Reis e Osvaldo Lopes, que devem tomar posse nesta sexta-feira (1º), deixaram o PHS e se filiaram ao PSD nesta segunda-feira (28). Também se juntou ao partido o deputado estadual eleito Rafael Martins, que pertencia ao PRTB. 

Com as filiações, o PSD ganha o posto de segunda maior bancada da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, juntamente com o MDB e o PSDB, com sete representantes na Casa. No Senado, também se torna o segundo partido com mais representatividade, com oito senadores. 

Viana, que foi citado na solenidade como um dos mais importantes nomes do PSD no país, disse que o objetivo principal da filiação é retomar a importância do Estado perante o Congresso Nacional. 

“Temos hoje uma responsabilidade muito grande de reconstruir a política de Minas Gerais, que está completamente destruída. Nós perdemos a importância no Congresso e é a nossa responsabilidade retomar isso. Tenho a certeza de que o PSD vai cumprir esse papel e estou à disposição, inclusive neste momento de dificuldade, para olhar com muita atenção em Brasília as questões dos nossos municípios”, disse. 

Segundo ele, outros dois nomes do PHS vão se filiar ao partido nos próximos dias e existe a possibilidade de o prefeito Alexandre Kalil seguir o mesmo caminho. “Não posso confirmar, mas há uma grande possibilidade”, afirmou. 

Segundo Zé Reis, os parlamentares foram autorizados à troca partidária sem o risco de perderem o mandato, porque já está confirmada a fusão do PHS e do PRTB com outros partidos, por não terem cumprido com a cláusula de barreira. 

“Ganhamos a liberdade de nos identificarmos com outro partido e escolhemos o PSD em virtude do trabalho realizado e também pela filiação de Carlos Viana e outras lideranças de renome”, afirmou. 

CPI 

Os deputados Rafael Martins e Osvaldo Lopes, agora filiados ao PSD, defenderam a causa ambiental como as principais bandeiras a serem levantadas por eles.

“Na Câmara Municipal de Belo Horizonte, fizemos parte da Comissão do Meio Ambiente e vamos manter o nosso compromisso forte com essa causa. Queremos instaurar, logo de imediato, uma CPI para investigar a extração mineral predatória em Minas”, afirma Lopes. 

Força de Minas

Para o professor Ruy Muniz, que também participou da cerimônia de filiação, essa é uma oportunidade para fortalecer o partido em Minas e também no país. “O PSD se consolida agora como um grande partido da atualidade, assim como foi nos tempos de JK, quando representou o Brasil. Esperamos que o PSD saia em 2020 como um dos maiores de Minas e que, em 2022, consiga eleger o governador do Estado”, afirma.

A deputada Raquel Muniz concorda e diz que as filiações aumentarão a representatividade dos mineiros frente ao governo federal. “Com a vinda do senador Carlos Viana, Minas estará efetivamente representado no Senado Federal e ajudará na governabilidade da gestão de Bolsonaro”, acredita.