Sobrou algum dinheiro e não sabe como investir? Confira aqui

Izamara Arcanjo
Especial para o Hoje em Dia
28/09/2021 às 21:24.
Atualizado em 05/12/2021 às 05:57
 (Reprodução)

(Reprodução)

Em tempos de arrocho no orçamento nunca foi tão necessário fazer o dinheiro render mais. Para multiplicar o que se tem no bolso  - independentemente da quantia - é fundamental analisar bem as opções, antes de qualquer aplicação. “Investir o pouco que se tem é melhor do que deixar o dinheiro parado”, ensina o analista de mercado Sílvio Azevedo.

Consultor e educador financeiro há 13 anos, ele afirma que a maioria dos ativos financeiros hoje são acessíveis para toda a população, que pode encontrar ações de R$ 1 ou menos, títulos do tesouro e também fundos que podem ser adquiridos por  R$ 100. “Tem tudo para todo mundo. O investidor precisa apenas buscar produtos com taxas de administração menores tanto em bancos, quanto em corretoras”, ensina. Divulgação 

Silvio Azevedo - Consultor financeiro

O pulo do gato, segundo Silvio Azevedo, é fazer a chamada API (Análise de Perfil do Investidor) para descobrir se seu estilo é conservador, moderado, arrojado ou agressivo. Os aplicativos de bancos e das corretoras oferecem a ferramenta como primeiro passo antes da decisão de quanto investir e onde. “Não existe dinheiro fácil. Cada tipo de investimento tem objetivo e prazo certos. É isso que precisa ser definido”, explica.

A doutora em Finanças da UFMG Sabrina Amélia de Lima e Silva frisa que não é preciso esperar sobrar para depois investir, apenas guardar uma parte dos rendimentos para garantir mais qualidade de vida no futuro. “ É uma decisão, é se presentear hoje, como forma de ter uma vida melhor ao longo dos anos”. Divulgação 

Sabrina Amélia Lima e Silva - Doutora em Finanças (UFMG)

Para a especialista, a dica de ouro e um dos cuidados necessários ao entrar no mercado financeiro é aprofundar os  conhecimentos na área. Muita gente, diz ela, começa a investir em fundos imobiliários ou ações sem ter o mínimo de informações sobre o assunto.  “Investir em seu conhecimento aumentará a sua segurança como investidor e vai gerar uma capacidade de selecionar bons ativos”, orienta.

Confira as dicas dos dois especialistas:

Antes de tudo, informe-se!

É preciso conhecer a instituição financeira. Confira se é confiável! Existem diversas instituições financeiras no mercado e você não é obrigado a conhecer todas, mas é necessário pesquisar sobre a empresa antes de colocar o seu dinheiro nela. O Brasil possui um sistema financeiro bem estável e conta com alguns órgãos reguladores como o Banco Central e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), veja se a empresa está listada na comissão.

Poupança

Fuja! Não é interessante investir na modalidade, que perde para a inflação há muitos anos.

Sem reserva de emergência?

Para quem não tem, a dica é investir em Tesouro Selic e CDBs (Certificados de Depósitos Bancários) 100%, que têm prazo de liquidez de apenas um dia. Traduzindo: é possível resgatar de imediato o valor aplicado. Essas são aplicações pós-fixadas atreladas à Selic ou CDI (taxa próxima à Selic) e oferecem baixíssimo risco.

Tem mais de 6 meses de reserva de emergência?

Neste caso, a sugestão é buscar multimercados e apostar na diversificação das aplicações com os valores que ultrapassam essa garantia. Geralmente, o prazo é de três anos com o dinheiro aplicado para poder obter um bom resultado.

Investidor ousado?

Para este perfil o bom negócio é aplicar o dinheiro em ações, fundos e algumas criptomoedas. Nestes casos a projeção é de investimento superior a 10 anos. Vale lembrar que ao comprar ações de uma empresa você se torna sócio dela. “Por isso, é preciso acompanhar os rendimentos dessa empresa, suas operações, senão acaba-se tornando inseguro, o que levará a prejuízos”, adverte a doutora em Finanças da UFMG Sabrina Amélia de Lima e Silva.

Previdências privadas e tesouro pós-fixado

Existem boas previdências privadas no Brasil, que podem render mais que a inflação, mas cuidado com as taxas de administração.

Desconfie de rentabilidade muito elevada

Existem muitos sites que prometem altíssimas rentabilidades, mas que, na verdade, são fraudes. Você pode até abrir conta, transferir o dinheiro, mas nunca receberá o rendimento prometido já que é uma operação fraudulenta. Exemplo: a taxa de juros no Brasil é de 6,25% ao ano. Investimento que promete 10% ao mês pode ser uma fraude. Fique atento!

Não se baseie apenas em dicas de terceiros

É possível que alguém próximo a você tenha feito algum investimento bem-sucedido, porém, isto não quer dizer que ao comprar determinados ativos acontecerá o mesmo com você. Bons resultados dependem do momento certo e do perfil do investidor.

Apoio

Divida o aprendizado com pessoas próximas para não se sentir sozinho no momento de fazer algum aporte financeiro. Envolva o cônjuge, amigos, pais e irmão neste processo, pois eles podem ajudar a tomar a melhor decisão.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por