Turismo nos cânions de Capitólio e Peixoto, em Minas, será reestruturado para evitar riscos

Da Redação*
portal@hojeemdia.com.br
17/01/2022 às 18:16.
Atualizado em 18/01/2022 às 00:54
 (Divulgação/Prefeitura de Capitólio)

(Divulgação/Prefeitura de Capitólio)

Após a tragédia ocorrida no dia 8 de janeiro em Capitólio, Centro-Oeste de Minas, surgiram vários questionamentos sobre a segurança do turismo nos cânios que existem na região. Para minimizar os riscos, na última sexta-feira (14), foi criado o grupo de trabalho Reviva Capitólio – Viva o Mar de Minas com a intenção de organizar o turismo nos cânions do Lago de Furnas, em Capitólio, e da Represa de Peixoto, no Sudoeste de Minas, próximo à Serra da Canastra.

O novo grupo é formado pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult-MG); pelas prefeituras de Capitólio, São José da Barra e São João Batista do Glória; pelas polícias Militar e Civil; pelo Corpo de Bombeiros; pela Defesa Civil; pela Marinha do Brasil; pelas Instâncias de Governanças Regionais (IGRs); pelo Sebrae; pelo Fecomércio; e pela sociedade civil.

Para a organização do turismo em Furnas e Peixoto, estão previstas quatro etapas:

  • Realização de diagnóstico dos cânions e áreas interditadas, com laudos técnicos e geológicos dos órgãos competentes
  • Ordenamento, regulamentação de uso e ocupação dos cânions e suas águas, por parte dos municípios, visando a segurança dos usuários, trabalhadores e turistas
  • Formação, informação e qualificação dos agentes públicos e privados, bem como usuários e turistas, sobre uso seguro da área
  • Reposicionamento de Capitólio e Mar de Minas como destino seguro dentro e fora do Estado com projetos de marketing e promoção

O Governo de Minas não informou quando começarão as atividades do grupo de trabalho, nem o prazo para finalização das etapas.

(*) Com Agência Minas

Leia mais:

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por