Teste

Guiamos o insano Audi RS5 Sportback, com seu V6 biturbo de 450 cv

Marcelo Jabulas
@mjabulas
06/08/2022 às 10:50.
Atualizado em 06/08/2022 às 11:12
 (Marcelo Jabulas)

(Marcelo Jabulas)

 Depois de conferir como é o dia a dia a bordo de um e-tron Sportback, com seus dois motores elétricos, fomos conferir como é cumprir as tarefas cotidianas em Audi RS5 Sportabck, a versão satânica do cupê quatro portas marca das quatro argolas.

Quem conhece o A5 Sportback sabe que ele é uma espécie de A4 com o chame da traseira fastback. É um carro muito agradável, com acabamento impecável, desempenho inquestionável e um pacote de conteúdos farto.

Quando se vira a chave para o RS5 a coisa muda. A começar pela suspensão mais baixa, os bancos esportivos que parecem que foram tirados de uma forma do corpo de qualquer um que se posicione ao volante.

Ao dar a partida, o escapamento duplo dá um urro proposital. Quem já guiou qualquer RS sabe que é um ritual costumeiro. Com a alavanca do câmbio S tronic de oito marchas em D ou S, você pode sair de forma comedida, ou pisar como se fugisse de uma avalanche. Qual seja a forma, o RS5 irá responder prontamente.

Um detalhe interessante desse carro está justamente no raio direito do volante. Uma tecla até modesta, quase imperceptível, com a gravação RS. Ao apertar esse botãozinho o Audi se transforma numa espécie de criatura mística.

Motor, transmissão, direção, escapamento e suspensão se ajustam para o modo mais brutal desse carro. Os 450 cv e 61, kgfm de torque são colocados numa baixela de prata, pois o conjunto se ajusta para manter um giro mais elevando para entregar toda a força do V6 biturbo 2.9. As marchas também são alongadas e se o motorista quiser trocar manualmente, basta puxar as borboletas que as mudanças são imediatas.

Nessa hora o ronco (auxiliado por um subwoofer) invade a cabine e tudo começa a passar de forma muito rápida diante do para-brisas e os pulmões são comprimidos no encosto do banco. O Head-Up Display projeta diante dos olhos, além da velocidade que cresce de forma bruta, gráficos com momento de troca e até mesmo a temperatura do motor. Um recurso para uso em pista.

Os amortecedores limitam o curso e elevam a carga. É como se estivéssemos guiando um BMW, de tão duro. Mas garantem ótima estabilidade.

Consumo

Se você me perguntar qual é o consumo desse carro, a resposta será: “depende”. Isso porque é possível rodar a incríveis 9 km/l, no modo mais eficiente e sem abusar do acelerador, ou baixar para menos de 4 km/l, caso queira disputar as 24 Horas de Le Mans sempre que sair para o trabalho. Mas a média registrada foi de 6,7 km/l, na cidade.

Visual

O RS5 Sportback se impõe pelo estilo. Sem exageros, ele conta com elementos que fazem dele um supercarro elegante. As imensas rodas aro 20, com pneus Michelin Pilot Sport de dimensões 275/30 R20 chamam atenção no primeiro olhar. Mas exigem cuidado. São fininhos demais e um buraco pode resultar numa bolha que irá estourar em R$ 3 mil.

O mesmo se deve dizer dos para-choques com estratores e coletores de ar, que não são apenas enfeites, mas com funções aerodinâmicas e também de arrefecimento do motor. Na traseira, as imensas ponteiras levadas por um acabamento em cinza acetinado finaliza a assinatura.

Conteúdos

O RS5 conta com pacote farto, com quadro de instrumentos digital, assistentes de condução, climatização de três zonas, multimídia com conexão para smartphones e um acabamento impecável, com direto a couro e alcântara por todos os cantos.

Seu espaço interno é generoso para quatro ocupantes. O quinto passageiro sofre, com o túnel central e também com a cadência do teto. Seu porta-malas (430 litros) com “sensor de pé” garante bom volume de bagagem para quem vai cair na estrada ou apenas dar um pulo no supermercado.

Um carro superlativo, que faz jus aos seus R$ 760 mil.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por