O processo de recuperação da obra 'O Abraço', na rua dos Tupinambás, no Centro de BH, está avançando. Ela faz parte do Circuito Urbano de Arte (Cura), projeto que leva pinturas de diversos artistas a edifícios da capital, e havia se deteriorado pelo tempo. Agora, ganha vida novamente com uma técnica mais moderna de preservação.

Inaugurado em 2017, em edição especial do festival em comemoração ao aniversário de 120 anos de BH, o desenho de Davi Melo Santos foi um dos primeiros. E a posição é privilegiada, sendo visto nitidamente por quem passa, principalmente, pela rua Sapucaí, no bairro Floresta.

Segundo Janaína da Cruz, curadora e uma das idealizadoras do Cura, o restauro conta com, além da equipe de coordenação, o empenho de outros cinco profissionais: uma produtora, o próprio artista, uma técnica em segurança e dois assistentes de pintura. O processo deve ser finalizado até 28 de agosto.

Ainda segundo Janaína, a obra começou a descascar logo após quatro meses de inaugurada. Hoje, com um processo que durou mais de um mês para análise e início da restauração, e com novos métodos de pintura aplicados, espera-se que a imagem se conserve por mais tempo. "É um amadurecimento do festival. Desde 2019, atuamos com uma equipe especializada em reparo predial. A gente trabalha para que as obras durem cada vez mais", explica.

Leia Mais:
Vídeo de funcionários da Santa Casa de BH dançando viraliza na web
Defesa Civil emite alerta para baixa umidade do ar em BH; veja recomendações
Testes de Covid-19 se esgotaram na sede da Máfia Azul