A jornalista e apresentadora carioca Leila Richers morreu, nesta quinta-feira (10), aos 65 anos, após uma longa batalha contra o câncer. O anúncio foi feito através da página oficial de Leila no Facebook.

“Queridos amigos! Depois de uma longa batalha contra um câncer, enfim descansei. Não haverá velório e serei cremada. Obrigada pelo carinho e pelas orações. Um beijo. Amém!”, diz a publicação.
 

Conhecida como a dona da voz mais sensual do telejornalismo, Leila foi repórter e editora de moda das revistas “Desfile” e “Manchete”. Passou também pelo “Jornal Panorama” e pelo “Jornal da Manchete – Segunda Edição”, que apresentou entre 1987 e 1993. Na TV Manchete, comandou o programa “Ela e ele” e o “Programa de domingo”. Também passou pela TVE e CNT e, atualmente, tinha um canal no YouTube. 

Ela foi casada com Ronaldo Richers, filho do empresário Herbert Richers, dono do famoso estúdio de dublagem, de quem adotou o sobrenome. Antes de atuar na comunicação, chegou a fazer algumas participações como modelo.

Leila Richers deixa dois filhos, Guilherme e Daniel, de 42 e 44 anos, e uma neta, Maria, de 7.

Leia também:
Búzios mais perto de BH: voos diretos no verão ‘encurtam’ a distância do paraíso
Minas 300 anos: cultura e turismo além das montanhas