Com o piso certo: escolha do revestimento deve considerar local de instalação e uso

Patrícia Santos Dumont
03/05/2019 às 11:32.
Atualizado em 05/09/2021 às 18:29
 (Osvaldo Castro/Divulgação)

(Osvaldo Castro/Divulgação)

Madeira, mármore, porcelanato, vinílico. Escolher o piso certo nem sempre é tarefa fácil, sobretudo para quem pouco entende do assunto. Mais do que combinar com o estilo do morador e da decoração, o revestimento deve ser compatível com o ambiente onde será instalado e com o uso que será feito dele. 

Sócias no escritório Ágille Arquitetura, em Belo Horizonte, a designer de interiores Flaviane Pereira e a arquiteta Márcia Coimbra destacam a resistência do material como fator número um a ser levado em conta antes da compra. “A classificação vai de 1 a 5, sendo 1 a menor e 5 a maior”, explicam.

Feito isso, é hora de partir para a escolha propriamente dita. Segundo as profissionais, porcelanatos e cerâmicas são os pisos mais usuais. Encontrados em diferentes formatos e tamanhos, se apresentam em cores, espessuras e texturas variadas e podem ser usados em áreas externas e internas. Curinga na arquitetura, o porcelanato, por exemplo, é capaz de reproduzir diferentes materiais, desde o clássico mármore, passando por madeira até chegar às pedras. 

Pisos vinílicos riscam com facilidade e, portanto, devem ser utilizados em ambientes de pouco trânsito de pessoas. Apesar disso, são práticos e têm bom custo benefício, podendo ser instalados sobre um acabamento antigo

Importante também, conforme as sócias do Ágille, é observar a segurança do material aplicado. Áreas como cozinha e banheiro devem ser projetadas com cuidado. “Pedem materiais com menor porosidade, antiderrapantes ou menos escorregadios. Pisos polidos devem ser evitados”, enfatizam. 

Materiais que viraram queridinhos são o vinílico e os laminados. O primeiro é feito de PVC e tem maior resistência a pano úmido. Já o segundo, é composto por camadas de materiais derivados da madeira, tendo acústica deficitária e maior sensibilidade a água. 

Laminados se apresentam em tonalidades bem variadas, claras e escuras, e ficam ótimos em quartos. Duas boas dicas são evitar excesso de água, que pode danificá-los, e colocar feltro nos pés dos móveis para diminuir ruídos

Atemporal

Adepta do mármore, piso que considera atemporal, a arquitetura Flávia Roscoe reforça que o material é durável, mantendo-se preservado mesmo com o passar dos anos. “Caso haja desgaste, basta dar um novo tratamento ou polimento e ele se renovará”, destaca. 

Segundo ela, ambientes contemporâneos pedem pisos mais neutros e uniformes, que permitem dar destaque a obras de arte, por exemplo, sem se sobressair. Em caso de reforma, ela recomenda observar aspectos como níveis de soleiras e altura das portas.

Confira algumas dicas das profissionais nos ambientes dos projetos abaixo:Pinterest/DivulgaçãoPORCELANATO 1
Material mais usado atualmente, já que permite reproduzir aparências diversas, como madeira e até mármore (projeto acima), é prático, fácil de limpar e tem bom custo benefícioOsvaldo Castro/DivulgaçãoPORCELANATO 2
Pensou que o piso da cozinha acima era madeira? Enganou-se! Combinação perfeita com os demais materiais do ambiente, tais como a bancada, de madeira de demolição, piso é um curinga também na praticidadeJuliana Siconi/Divulgação

CHIQUE
Clássico, o mármore é sempre bem-vindo, mas é preciso atenção especial para manter a pedra bonita. Locais com tráfego intenso não devem recebê-lo, assim como áreas externas, que ficam expostas ao sol. No ambiente ao lado, a pedra é usada tanto na sala de estar quanto na varanda, que recebeu uma persiana rolô para proteger da incidência solarJomar Bragança/DivulgaçãoATEMPORAL
Madeira natural usada no quarto acima nunca sai de moda e deixa o ambiente ainda mais aconchegante Pinterest/DivulgaçãoCURINGA
Outro curinga para as áreas secas da casa, principalmente para os quartos, são os pisos laminados, que podem ser assentados, inclusive, sobre o assoalho antigo. O material é comercializado em diversas tonalidades e requer cuidado quanto ao uso excessivo de água. Evite usá-lo em corredores de quartos, pois não têm boa acústicaPinterest/DivulgaçãoNA MODA
O cimento queimado bombou no ano passado, mas ainda pode ser usado sem medo: resistente e luxuosoPinterest/DivulgaçãoCHARMOSO
O taco acabou perdendo espaço para os pisos laminados e de porcelanato, mas continua tendo lugar especial no lar. Atemporal, vai bem em qualquer estilo de decoração, seja ela mais moderna ou com pegada vintage. Se sua casa for antiga, mantenha-o e invista em peças descoladas para modernizar o ambiente

Além disso:

Originalmente usado em ambientes mais rústicos e simples, o cimento queimado faz sucesso há pelo menos dois anos e caiu no gosto popular por se colocar como verdadeiro curinga da decoração. Além de carregar o cinza, novo branco da decoração, fica perfeito em locais clássicos, modernos ou que misturam as duas referências de estilo. Quem não quiser investir no cimento propriamente dito pode apostar em texturas e tintas vendidas em lojas especializadas e que reproduzem a ideia. Ambientes clássicos combinam com tons mais claros e textura uniforme, que dão toque moderno e suave ao local. Os mais ousados podem apostar na aparência rústica.

Jeito certo de limpar alguns tipos de piso:
– Porcelanato: use uma vassoura de cerdas macias, depois pano úmido com detergente líquido ou produto específico. Evite água sanitária, sabão em pó e produtos abrasivos.
– Cerâmica: em geral é mais resistente à limpeza e às cerdas de vassouras e escovas. Ainda assim, o indicado é limpá-lo de forma parecida com a do porcelanato. 
– Laminado: tenha cuidado com o excesso de água. Passe um pano levemente umedecido com água e detergente neutro. Não use cera nem produtos com silicone. 

Leia mais:

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por