Energia mais cara

Conta de luz terá nova tarifa extra para cobrir custos da crise energética de 2021

Leíse Costa
leise.costa@hojeemdia.com.br
15/03/2022 às 15:24.
Atualizado em 15/03/2022 às 16:12
Cemig oferece condições especiais para clientes renegociarem débitos (Cristiano Machado)

Cemig oferece condições especiais para clientes renegociarem débitos (Cristiano Machado)

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira (15) uma operação de crédito de R$ 10,5 bilhões para as distribuidoras de energia elétrica cobrirem o rombo gerado pelos custos da crise energética do ano passado. O crédito será financiado por um grupo de bancos públicos e privados. O pagamento será por meio de bandeira adicional que virá embutida nas tarifas de energia elétrica, durante 54 meses, com início em 2023.

A medida foi determinada pela Diretoria Colegiada da Aneel com base na Medida Provisória 1.078/2021 e pelo Decreto 10.939/2022. De acordo com a agência, a primeira parcela, no valor total de R$ 5,3 bilhões, será depositada nas próximas semanas na Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) e, posteriormente, repassada às distribuidoras.

Segundo a Aneel, o valor está R$ 300 milhões abaixo do estimado na consulta pública 2/2022 devido, entre outros fatores, à eliminação dos custos de despacho de usinas termelétricas da região Nordeste diante da impossibilidade de transmissão da energia dessas geradoras para as regiões Sul e Sudeste.

Leia mais:

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por