LITERATURA

Guarda de Moçambique É retratada em livro da fotógrafa Vera Godoi

Da Redação
Publicado em 02/08/2022 às 12:02.
As belas fotos retratam os 14 ritos, como “Eu vou no rosário eu vou”, “Congá” e “Mesa sagrada” (Reprodução)

As belas fotos retratam os 14 ritos, como “Eu vou no rosário eu vou”, “Congá” e “Mesa sagrada” (Reprodução)

A fé e a cultura resultam em belas imagens. É o que mostra a fotógrafa Vera Godoi em “Guarda de Moçambique Nossa Senhora do Rosário do Bairro Alto dos Pinheiros”, livro que será lançado na sexta, no Mercado Cultural 145 (Rua Frei Consolação Veloso, 145 - Bairro Alto dos Pinheiros), a partir das 19h.

Na publicação, o Congado é retratado como expressão pura de um povo, em cores e movimentos. Publicado pela Páginas Editora, a obra, com fotos de 2013 a 2021, foi viabilizada pela Lei de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte.

Quando ouviu os sons dos tambores, Vera tinha 6 anos e deles nunca se esqueceu. Adulta, começou a se interessar pela fotografia e a fazer dela a relação com o congado do Bairro Alto dos Pinheiros. “A cada ano tirava até mil fotos, capturando imagens das comemorações, rituais, cantigas visitas às casas de congadeiros e admiradores”, conta a fotógrafa, com anos de experiência no fotojornalismo e como professora universitária. 

Para ela, a presença das crianças no cortejo do Congado é um importante destaque, dando alegria e ternura às festas da Guarda de Moçambique.  

A professora Leda Maria Martins assina o prefácio, e atesta o valor da publicação de Vera Godoi. “Os Reinados, também conhecidos como Congados, são uma das manifestações culturais mais ricas e expressivas dos saberes banto do nosso país”, diz ela.

O livro traz frases de membros da Guarda, como a de Elizangela Santana: “A bandeira levantada significa a ligação da terra com o céu e proteção de Nossa Senhora e de todo o povo que virá atrás dela”. 

Os congadeiros têm suas experiências pessoais retratadas no livro. “Em 1998, Capitão Raimundo, regente da Guarda, colocou Bandeira na minha mão e disse: agora você é bandeireira até Nossa Senhora permitir”, afirma, no livro, Marlene Fernandes dos Santos, na atividade há 23 anos.  “Quando dois Rosários se encontram, une-se o céu e a terra, um só povo, um só coração, soa tambor, canta tambores”, diz o Capitão Geraldinho.

As belas fotos retratam os 14 ritos, como “Eu vou no rosário eu vou”, “Congá”, “Mesa sagrada” e outros, além de algumas viagens dos membros da Guarda. Um destaque é a visita a Aparecida do Norte, com imagens amplas ou de detalhes. 

Leia mais

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por