América

O zagueiro Ricardo Silva é o porta-voz do elenco do Coelho: "A gente fica triste (pela campanha ruim no Brasileiro), por todo o trabalho que vem sendo feito pela comissão inteira, do roupeiro até o treinador, incluindo todos os envolvidos no América que estão dando seu melhor. A gente fica triste porque as coisas não estão acontecendo".

A lamentação de ver o time alviverde na vice-lanterna da competição nacional, com 15 pontos, no entanto, vem acompanhada pela promessa de muito trabalho para mudar esse cenário negativo.

"Estamos lutando e correndo, mas pecando nos detalhes. O que tinha que se aprender, aprendemos. Teremos um jogo importante. Precisamos mostrar nosso trabalho, não somente com palavras, mas com atitude. A chave vai mudar", afirmou ele, referindo-se ao confronto com o Ceará, neste domingo (29), às 11h, no Independência, pela 18ª rodada.

Por fim, ressaltou que o América está preparado para a partida diante do oitavo colocado do Brasileirão. Com 24 pontos, o Vozão tenta chegar ao G-6 da Série A.

"Nosso time tem força e velocidade. Estamos preparados, não tem que ter medo. Aqui não tem erro, tem é trabalho. E vai ter muito acerto. As coisas vão mudar", disse Ricardo Silva.

Leia mais:
No Dia Internacional da Igualdade Feminina, jogadoras do América divulgam carta às afegãs
Juninho quer América 'matando o adversário' e defende trabalho do técnico Vagner Mancini
Para Vagner Mancini, América não foi inferior a nenhum adversário nos últimos jogos