cruzeiro, meep, operação fifa

 

O Cruzeiro ultrapassou a marca de R$ 400 mil doados pelos torcedores desde a última sexta-feira, data do início da "Operação Fifa", ação que o clube lançou para ter ajuda da torcida no pagamento de dívidas. Agora o objetivo é alcançar outra marca simbólica: a de meio milhão de reais arrecadados.

Entre sexta e a tarde desta segunda o clube conseguiu acumular quase 12 mil doações, média de 4 mil colaborações diárias. A primeira etapa da "Operação Fifa" consiste em receber dinheiro do torcedor por meio de QR Code da plataforma Meep. Mas a intenção é abrir novas oportunidades de arrecadação dentro dessa mesma ação.

O clube vai abrir em breve novas modalidades de doações para que mais torcedores possam ajudar no pagamento das dívidas, que são altas, e duas em especial vencem em datas apertadas, no dia 15 de julho e 6 de agosto. 

A diretoria do Cruzeiro informou nas últimas semanas que o clube recebeu da Fifa ordens de quitação de dívidas com dois clubes, o Tigres-MEX e o Spartak Moscou. Os mexicanos precisam receber na próxima semana (15 de julho) aproximadamente R$ 12 milhões pela venda do atacante Rafael Sóbis à Raposa ainda em 2016. Já os russos, que emprestaram Pedro Rocha ao time celeste em 2019, cobram R$ 2.335.814,08 (395,6 mil euros) por essa operação, não paga na gestão Wagner Pires de Sá. 

Dívida na Fifa referente ao empréstimo do volante Denilson, contratado junto al Al-Whada em 2016, já fez o Cruzeiro perder seis pontos na Série B de 2020. O Conselho Gestor, responsável por gerir o clube estrelado entre dezembro de 2019 a maio de 2020, não conseguiu pagar algo próximo de R$ 3 milhões. O que fez a punição ser aplicada pela entidade que regula o futebol no mundo. 

Além de campanhas de arrecadação de dinheiro com a ajuda dos torcedores a atual diretoria do Cruzeiro, para quitar pendências financeiras e judiciais, pensa em negociar ativos importantes do clube, inclusive imóveis, e também jovens promessas reveladas pelas categorias de base. 

Golpe

A diretoria do Cruzeiro acionará o Ministério Público de Minas Gerais e a Polícia Civil, uma vez que golpistas estão usando o nome do clube para pedir dinheiro de firma ilegal na internet. Pelo menos duas vaquinhas virtuais foram abertas em sites especializados sem a anuência do clube e tentativas de golpe também foram registradas no Whatsapp.