COPA DO BRASIL

Do susto à glória: Rafael Cabral vibra com noite histórica no Independência

Lucas Borges
@lucaslborges91
12/05/2022 às 22:38.
Atualizado em 13/05/2022 às 01:08
O goleiro da Raposa defendeu quatro cobranças de pênaltis nesta quinta-feira (12) (Fernando Michel)

O goleiro da Raposa defendeu quatro cobranças de pênaltis nesta quinta-feira (12) (Fernando Michel)

A classificação do Cruzeiro para as oitavas de final da Copa do Brasil foi cercada de muita tensão. Primeiro, pela suada vitória por 1 a 0 no tempo normal sobre o Remo, que levou a disputa para os pênaltis, em que brilhou a estrela de Rafael Cabral. Entretanto, antes de defender quatro cobranças e dar a vaga à Raposa, o goleiro passou por um grande susto no Independência.

Aos 41 minutos do primeiro tempo, quando a partida ainda estava empatada em 0 a 0, Cabral recebeu um recuo de bola e, ao armar um passe para dar continuidade à jogada, como faz dezenas de vezes nos jogos, viu a bola escapar e quase cair nos pés do atacante Brenner, que ficaria com o gol escancarado a sua frente. Com um carrinho salvador, no limite, Rafael conseguiu afastar a bola e evitar que o time visitante abrisse o placar.

Derrotado no jogo de ida por 2 a 1, em Belém, a equipe comandada pelo técnico Paulo Pezzolano teria uma missão ainda mais difícil caso o adversário tivesse saído na frente no Horto. 

No restante do jogo, o camisa 1 pouco trabalhou e viu a Raposa marcar com Edu no segundo tempo e levar a decisão dos classificados para os pênaltis.

Foi aí que Rafael Cabral apareceu novamente, defendendo quatro cobranças e levando a equipe estrelada à fase seguinte do principal torneio de mata-mata do país.

Após a partida, muito festejado pela torcida e pelos companheiros, Rafael mostrou tranquilidade, fazendo questão de minimizar qualquer comparação com seu antecessor.

“Sempre disse que eu nunca ia substituir o Fábio. Vim aqui para jogar após ele, a história dele é incrível aqui, vai continuar sendo, independente do que eu faça. Fico feliz em poder ajudar, mas sou um cara muito pé no chão, no próximo jogo eu tenho que ir bem de novo. A minha posição é muito importante, estou trabalhando para passar confiança, ajudar o time quando precisar. Estou aqui para trabalhar, a gente quer representar essa torcida em campo”, disse o jogador, ao Amazon Prime Vídeo.

Estudo ou instinto?

O goleiro do Cruzeiro defendeu os pênaltis de Marlon, Leonan, Lailson e Everton Sena, todos batidos no seu canto esquerdo.

Questionado se o grande desempenho foi fruto de estudo ou instinto, Rafael Cabral afirmou que tem um pouco de cada.

“Tem um pouco de tudo. O problema de você estudar (as cobranças) é que as vezes você se precipita. Teve um pênalti que eu estudei e peguei, teve o último em que não sabia onde ele batia”.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por