Conteúdo de inteira responsabilidade de Alana Moreira
 

A seis rodadas do término do Campeonato Brasileiro da Série B, o América disputa o título da competição ponto a ponto com a Chapecoense. Em jogo, além de mais uma taça da segunda divisão nacional, está a possibilidade de o Coelho estabelecer sua melhor campanha na história da competição em termos de pontos.

Após o triunfo sobre o Guarani por 1 a 0 no último sábado, em Campinas, e o tropeço do time catarinense no domingo, diante do Brasil de Pelotas, a equipe de Belo Horizonte assumiu a liderança nos critérios de desempate, já que possui uma vitória a mais que a Chape. Portanto, os comandados de Lisca dependem apenas de si para ficarem com o título.

Segundo os matemáticos, o acesso está bastante assegurado. A exemplo da Chapecoense, o time mineiro tem praticamente 100% de chance de subir. A distância para o quinto colocado é de 12 pontos, e o Coelho precisa de apenas quatro pontos para confirmar o acesso. Portanto, o grande foco é na conquista do título, que pode ser histórico.

Nem mesmo a eliminação na semifinal Copa do Brasil diante do Palmeiras não deve pesar negativamente na campanha na Série B. Afinal, o Coelho era considerado azarão nas apostas e ter chegado tão longe na competição nacional, eliminando Corinthians e Inter, foi uma enorme demonstração de força para o time de Lisca.

Caso leve a taça da Série B, o América chegará à sua terceira conquista na segunda divisão nacional, repetindo os feitos de 1997 e 2007. Se isso acontecer, o Coelho ficará isolado como o maior vencedor da história da competição. Atualmente, o América divide o posto com Goiás, Palmeiras, Coritiba, Paysandu e Red Bull Bragantino, todos com duas conquistas.

Coelho de olho em pontuação histórica

América
Campanha atual pode superar a do título de 2017


Mais do que o título, o América busca um recorde. Se somar 11 pontos, o Coelho superará os 73 pontos conquistados na campanha do título de 2017 e terá sua melhor participação na história da Série B. Além disso, o time pode superar a campanha do rival Atlético/MG em 2006. Na ocasião, o Galo fez 71 pontos – a melhor pontuação de um time de Minas Gerais na história da Série B por pontos corridos.

Apesar do título e dos recordes em jogo, o técnico Lisca ressalta que o objetivo principal é confirmar o acesso. A partir daí, o time planejar a temporada 2021, na qual a grande meta é fazer um bom estadual e, sobretudo permanecer na Série A, algo que o clube não consegue há mais de 20 anos. 

“Considero que a Série B tem quatro campeões, os quatro que fazem o acesso. O América já é bicampeão, o tri seria legal, mas acho muito importante ir preparando a equipe para o ano que vem, para o Mineiro, para a Série A. O que a gente que agora é subir e permanecer na Série A, parar de ganhar a B, se consolidar como clube forte, que está crescendo muito e que tem um projeto lindo. É tudo isso que vamos fazer nesse final”, disse o treinador.

O caminho até o título

Para consolidar a conquista do tricampeonato, o América terá três jogos seguidos contra times que brigam contra o rebaixamento na Série B: Vitória (09/01, no Independência), Náutico (12/01, nos Aflitos) e Botafogo-SP (15/01, no Independência). 

Depois, o time encara duas equipes da parte intermediária da tabela fora de casa: Brasil de Pelotas (19/01, no Bento de Freitas) e Confiança (23/01, no Batistão). Por fim, termina sua participação na Série B recebendo o Avaí no dia 30/01.

De todos os adversários, o único que o América não venceu no primeiro turno foi justamente o Avaí – derrota por 1 a 0 na Ressacada, em Florianópolis. Portanto, se repetir o aproveitamento nesta reta final, dificilmente o Coelho deixará a taça escapar.

A Chapecoense tem um trajeto parecido daqui pra frente. O time catarinense também tem três duelos seguidos contra equipes que brigam contra o Z-4: Botafogo-SP (09/01, no Estádio Santa Cruz), Figueirense (12/01, na Arena Condá) e Vitória (17/01, no Barradão). Os três últimos jogos serão contra Ponte Preta (21/01, na Arena Condá), Operário (25/01, no Germano Kruger) e Confiança (30/01, na Arena Condá).

No primeiro turno, a Chapecoense somou 14 pontos contra esses adversários – um a menos que o América na reta final. Foram vitórias contra Botafogo, Ponte Preta, Operário e Confiança e dois empates contra Figueirense e Vitória.

Ao que tudo indica, a briga pelo título será rodada a rodada, já que América e Chape fazem ótimas campanhas até aqui. No entanto, é o Coelho quem depende apenas de si para conquistar o tricampeonato.