Com apenas mais um jogo restante para o encerramento da temporada, o Cruzeiro já pensa em 2022. Uma das várias pendências que a diretoria estrelada terá que resolver para o próximo ano é a contratação de um profissional para ocupar o cargo de diretor de futebol, que está vago há exatos 50 dias.

Desde que Rodrigo Pastana (o segundo a exercer a função neste ano) foi demitido, no dia 4 de outubro, a cúpula celeste está tocando o departamento de futebol profissional sem um diretor específico para o setor.

A necessidade da chegada de um novo diretor de futebol se dá principalmente pela participação desse dirigente na montagem do elenco para o ano que vem.

Como o desempenho do atual plantel em 2021 foi bem abaixo do esperado pelo torcedor, com a equipe ficando longe da disputa de títulos e especialmente do acesso à Série A - principal objetivo do ano –, a reformulação no grupo de jogadores é dada como certa na Toca da Raposa II.

A única condicionante no momento é o pagamento do transfer ban. A punição imposta pela Fifa impede o Cruzeiro de registrar novos jogadores até que o clube quite uma dívida que gira em torno de R$13 milhões, com o Defensor, do Uruguai, e o Mazatlán, do México.

Com isso, até a avaliação dos 13 jogadores em fim de contrato no final desta temporada está comprometida.

Volta de Alexandre Mattos

Um dos nomes cotados para a assumir a diretoria de futebol do Cruzeiro em 2022 é Alexandre Mattos.

Reconhecido no meio do futebol pelo trabalho realizado em grandes clubes, inclusive à frente do time celeste entre 2012 e 2014, Mattos é o nome preferido do empresário Pedro Lourenço, principal patrocinador da Raposa.

Entretanto, apesar de o presidente Sérgio Santos Rodrigues também ver com bons olhos a chegada de Alexandre, alguns fatores travam um possível acerto no momento.

O principal deles é a delicada situação financeira do clube estrelado, que traz incertezas sobre o planejamento para 2022.

A situação do transfer ban, especificamente, é a principal aresta que tem que ser aparada não só para a chegada de um novo diretor de futebol, mas também para a permanência do técnico Vanderlei Luxemburgo.

Recentemente, o comandante, também com vínculo se encerrando no final de 2021, afirmou que o fim dessa sanção é essencial, sendo o principal “reforço” do time para o ano que vem.

Certo é que um profissional como Alexandre Mattos espera garantias, especialmente financeiras, para assumir o desafio de tentar levar o Cruzeiro de volta à Série A do Campeonato Brasileiro.

Leia mais
Partida entre Cruzeiro e Náutico, no Mineirão, já tem mais de 20 mil ingressos vendidos
Nas boas e nas más: gols, títulos e retorno em meio à crise marcam a trajetória de Sóbis no Cruzeiro
Após alterações pulmonares, Matheus Neris retornará à Toca nos próximos meses