No último dia como vice-presidente do Atlético, já que a nova diretoria será empossada nesta segunda-feira (4), Lásaro Cândido da Cunha usou as redes sociais para comentar sobre manifestações sobre o centenário do Cruzeiro, completado no sábado (2).

Sem citar nominalmente a Raposa, o dirigente afirmou, na manhã deste domingo, que tem "enormes dificuldades" em saudar datas festivas de quem, segundo ele, jamais respeitou o Galo.

A publicação certamente está relacionada à mensagem de parabéns veiculada na conta oficial do Alvinegro no Twitter, direcionada ao maior rival.

"Nestes doze anos defendi o Atlético, valendo-me sempre das regras legais, em alguns casos até sendo verbalmente agredido e até ameaçado. Mas jamais abri mão de responder à altura, nos limites das minhas funções, aqueles que desrespeitassem o clube...", escreveu o advogado.

Na sequência, Lásaro  justifica o motivo de não ter feito qualquer saudação à marca centenária do arquirrival.

"Isso explica porque tenho enorme dificuldade em ser 'bãozinho' (sic) ou até hipócrita com datas 'festivas' e simbólicas de outros que jamais nos respeitaram... Ontem mesmo um jornalista de um grande veículo de comunicação vestiu a camisa do aniversariante e até deu indiretas para o Galo...".

Valorização dos ídolos

Na véspera de passar o bastão para José Murilo Procópio -  eleito vice-presidente na chapa encabeçada por Sérgio Coelho -, Lásaro Cunha também pediu maior valorização dos grandes nomes do Alvinegro, por parte da instituição.

"Falta ao Atlético consolidar de vez o reconhecimento de ídolos do Clube. Preciso registrar q o ex-presidente Sette Câmara abriu espaço p Léo Silva, Reinaldo (nosso Rei eterno) e Éder etc - craques q honraram nossas tradições e agregam experiência e simbolismos...", afirmou o advogado.

Por fim, Cunha citou passagens que teve como dirigente, para justificar o apelo pela maior valorização dos ídolos do Galo.

"Nas inúmeras viagens q fiz nestes doze anos com o clube, inclusive fora do país, pude testemunhar a admiração de dirigentes ou torcedores de outros clubes com nossos ex-craques. Em muitos casos, com fotos, autógrafos e homenagens. Viva nossa tradição. Sem valorizar o passado não há futuro".