A empresa que processou o Cruzeiro na Justiça por meio de ação de busca e apreensão para retomar equipamentos de ginástica comprados mas não pagos em sua totalidade pelo clube sofreu uma derrota em Primeira Instância. O juiz Eduardo Veloso Lago, da 25ª Vara Cível de Belo Horizonte, extinguiu o processo alegando falta de documentos comprobatórios por parte da reclamante, no caso a Brunswick Indústria de Embarcação do Brasil.

Em decisão proferida na última quarta-feira o magistrado entendeu que "a Autora não comprovou a mora mediante “protesto” ou 'interpelação judicial'", escreveu Lago em parte de sua decisão.

De acordo com um advogado consultado pelo Hoje em Dia, o juiz decidiu pela extinção do processo pela falta de notificação extra-judicial ou protesto de dívidas reconhecidos em cartórios. 

A ação movida pela Brunswick contra o Cruzeiro foi revelada pelo HD na última terça-feira. Na ocasião a assessoria celeste afirmou não ter sido notificada da ação. 

Leia mais
Empresa tenta busca e apreensão de aparelhos de academia após calote de R$ 258 mil do Cruzeiro

A Brunswick cobra do Cruzeiro R$ 258.325,41 (duzentos cinquenta e oito mil, trezentos e vinte e cinco reais e quarenta e um centavos) pelo não pagamento integral de aquisição específica de equipamentos de ginástica e musculação. Essa compra foi feita por meio de quatro notas fiscais datadas de abril de 2019. O contrato entre o clube celeste a empresa foi assinado pelo então presidente Wagner Pires de Sá e previa contratação de mais de R$ 900 mil em compras na referida instituição. 

Em contato com a reportagem o responsável pelo escritório de advocacia que cuida dos interesses da Brunswick Indústria de Embarcação do Brasil Ltda, situada na cidade de Joinville, em Santa Catarina, disse que recebeu contato recente do Cruzeiro: "Houve contato do Cruzeiro que se comprometeu a enviar uma proposta (de pagamento)", disse.

Sobre a extinção do processo o advogado garantiu que vai recorrer da decisão da Justiça por entender que houve erro de análise do juiz em relação aos documentos apresentados pela empresa. 

Por meio da assessoria o Cruzeiro afirmou que ainda não fez acordo com a reclamante.