Após a demissão de Ney Franco do Cruzeiro, o nome de Lisca passou a ser ventilado na Toca e inundou as redes sociais – apesar de o presidente Sérgio Santos Rodrigues dizer que não conversou ainda com nenhum outro treinador para o cargo. Embora não seja oficial, o comandante do América está na mira do clube celeste. Dentro de um universo de possibilidades, seria uma boa para o técnico alviverde assumir a Raposa?

Prós e contras na Toca

Caso seja chamado para dirigir a equipe estrelada, Lisca chegaria para comandar um elenco desmotivado e cujas lideranças fizeram desabafos que refletem essa apatia, casos de Fábio e Manoel, como ficou evidente nas entrevistas depois dos duelos com Sampaio Corrêa e Oeste, respectivamente.

Além disso, a Raposa é atualmente o terceiro time que mais perdeu na Série B (sete derrotas), ocupa o penúltimo lugar e é dono de um ataque muito aquém do esperado, com apenas 15 gols marcados, média de um por partida.

De positivo apenas, talvez, a questão salarial (se a proposta celeste fosse mesmo interessante ao técnico) e o fato de ficar marcado na história caso obtenha um milagre de subir a equipe à Série A - apesar da realidade hoje ser outra.

E o Coelho?

No América, Lisca tem moral com a diretoria e os torcedores, faz um bom trabalho em uma equipe que ocupa o terceiro lugar, sendo forte candidato ao acesso, e tem o plantel nas mãos. O Coelho esbanja consistência defensiva, com somente oito gols sofridos, o que significa que o alviverde é dono da segunda retaguarda menos vazada no campeonato.

Lisca

Informações de bastidores dão conta de que a diretoria celeste já foi atrás de Lisca. O desfecho dessa história deve ser conhecido até esta segunda-feira (12).