RUSSIA E UCRÂNIA

Invasão russa à Ucrânia gera consequências no futebol e na F1

Letícia Lopes
@leticialopesou
25/02/2022 às 14:57.
Atualizado em 25/02/2022 às 15:04
 (Divulgação HAAS e Twitter UEFA)

(Divulgação HAAS e Twitter UEFA)

Para além das questões civis, políticas e econômicas, o conflito entre Rússia e Ucrânia segue gerando consequências em outras áreas. No esporte, duas competições expressivas que aconteceriam em território russo foram alteradas: a final da Champions League e o GP de Fórmula 1.

A União das Federações Europeias de Futebol (UEFA) decidiu transferir a decisão que aconteceria em São Petersburgo, no Estádio Krestovsky, para Paris, na França, no dia 28 de maio, no Stade de France.

Em nota, a entidade europeia anunciou, nesta sexta-feira (25), a mudança do local e agradeceu Emmanuel Macron, presidente da França, pelo empenho em transferir a final para o estádio francês. “A Uefa deseja expressar os seus agradecimentos e apreço ao presidente da França, Emmanuel Macron, pelo seu apoio pessoal e empenho em transferir o jogo de futebol europeu de maior prestígio para a França num momento de crise sem precedentes. Juntamente com o governo francês, a Uefa apoiará totalmente os esforços de várias partes interessadas para garantir o resgate de jogadores de futebol e suas famílias na Ucrânia que enfrentam terríveis sofrimentos humanos, destruição e desalojamentos” escreveu a UEFA. 

A  Federação Internacional de Automobilismo (FIA) em decisão com a F1, por sua vez, decidiu cancelar o GP da Rússia na temporada 2022. A entidade apontou que o esporte visita diferentes países com a intenção de unir pessoas e nações. Dessa forma, a realização da competição está impossibilitada. 

Em nota, a F1 esclareceu:
“O Campeonato Mundial da Fórmula 1 visita países ao redor de todo o mundo com uma visão positiva de unir pessoas e unificar nações. Estamos observando os acontecimentos na Ucrânia com tristeza e choque, e esperamos por uma resolução sadia e pacífica para a situação atual. Na quinta-feira de tarde a Fórmula 1, a FIA e as equipes discutiram a posição do nosso esporte e a conclusão foi que, incluindo a visão de todas as partes interessadas, será impossível realizar o GP da Rússia nas atuais circunstâncias.”

Leia mais:

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por