A torcedora do Cruzeiro Maria Salomé da Silva, de 86 anos, negou na noite desta quarta-feira (4) que foi agredida por torcedores atleticanos na saída de um jogo de vôlei da Raposa, em Betim, na Região Metropolitana, nessa terça-feira (3). “Comigo não aconteceu nada de mais. Eu cai porque carregava uma bolsa muito pesada. Me desequilibrei e fiquei com os joelhos e braços muito doloridos”, contou a idosa.

De acordo com informações da Polícia Militar, integrantes de uma torcida organizada do Atlético teriam chegado em três carros na porta do ginásio Divino Braga e agrediram a pauladas os torcedores que deixavam o local. “Eu não posso falar porque não conheço as pessoas e elas não estavam usando camisas do Atlético. Não aconteceu nada disso. Eles estavam em dois carros brancos e um escuro”, explicou ela.

Além de Salomé, uma adolescente de 15 anos também ficou ferida. As duas vítimas foram levadas para a UPA Norte, em Betim.

Em nota, a Prefeitura de Betim informou que “a paciente Maria Salomé da Silva, de 86 anos, deu entrada no dia 3 de dezembro, às 23h09, vítima de agressão. Foi atendida pela equipe de cirurgia e recebeu alta às 00h15. Já a paciente de 15 anos deu entrada no dia 3 de dezembro, às 23h09, também vítima de agressão. No momento está em observação na unidade e tem o estado de saúde estável, diz o comunicado 

cruzeiro, salomé

Salomé contou ainda que trabalhou normalmente nesta quarta. Há 26 anos ela é auxiliar de limpeza na sede administrativa do Cruzeiro, no Barro Preto, região Centro-Sul da capital.

Perguntada sobre a atual fase do time e sobre o jogo desta quinta-feira (5) contra o Grêmio e sobre o risco de rebaixamento pela primeira vez, a torcedora-símbolo do time celeste é só otimismo. “A esperança é a última que acaba minha filha. Vai ganhar, estou rezando muito”. 

(*Com informações de Rosiane Cunha)

Leia mais:
Com grande atuação, Cruzeiro bate o Zenit Kazan na abertura do mundial de vôlei
Torcedor do Cruzeiro mantinha raposas em cativeiro no Norte de Minas para 'dar sorte ao time'