Tecnologia

Nova geração de cartões de memória foram desenvolvidas para máquinas 4K

Marcelo Jabulas
@mjabulas
Publicado em 04/08/2022 às 11:27.
 (Marcelo Jabulas)

(Marcelo Jabulas)

Talvez você ainda não tenha visto de perto, mas o mundo há um bom tempo está sendo registrado em 8K. Smartphones, televisores e videogames são capazes de entregar essa definição de imagem espantosa que beira a realidade captada por nossos olhos. Mas para que isso se torne possível, não basta apenas um aparelho capaz de reproduzir essas imagens. São necessárias ferramentas para registrá-las. 

E não estamos falando apenas de lentes e processadores, mas também de unidades de armazenamento. E o formato que se tornará imperativo daqui em diante será o CFexpress. 

Trata-se de uma nova tecnologia de armazenamento de dados, que conta com novos recursos e soluções técnicas que permitem gravar e ler um volume muito grande de dados em alta velocidade. Para isso, ela utiliza interface PCI-Express 3.0, parecida com a adota nas placas-mãe dos computadores. 

Na prática, esses cartões podem registrar até 1 GB/s, enquanto um cartão SD pode gravar até 150 MB/s nas versões mais sofisticadas. Numa analogia dos anos 1990, o CFexpress é a diferença entre o disquete e o CD-ROM.

Gravar rápido é fundamental para que se consiga captar em definições elevadas. Isso porque cada minuto de gravação em 8K é extremamente pesado. Algo em torno de 600 MB, no formato MPEG. 

Testamos o cartão Lexar Professional de formato Type B (tamanho intermediário) que se tornou o modelo padrão dessa nova geração. A unidade de 256 GB permite gravar em 4K em formato RAW, que é como se fosse um negativo digital, praticamente sem compressão, como nos formatos JPEG e MPEG.

É um formato que exige muito poder de processamento e espaço. Daí é preciso captar a imagem e converter em dados de forma muito rápida para que não se tenha atrasos e nem perda de frames.
Para testar esse cartão conseguimos rapidamente uma Sony A7S III. Na verdade, quem testou foi o dono da caríssima máquina japonesa, que só o corpo não sai por menos de R$ 25 mil.

O resultado impressiona, pois o cartão consegue gravar muito rápido e ler mais rápido ainda. A velocidade de leitura é de 1.750 MB por segundo. 

Mas tudo tem seu preço. Esse pequeno retângulo do tamanho de uma fotografia 3x4 não é barato. No varejo online os valores podem variar de R$ 3 mil a R$ 4 mil, para uma unidade de 256 GB. Para quem trabalha com produção de vídeo e já produz conteúdos em formatos UHD, é uma aquisição necessária.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por