Arte e política

TSE proíbe propaganda eleitoral durante festival Lollapalooza; multa é de R$ 50 mil

Da Redação
portal@hojeemdia.com.br
27/03/2022 às 14:06.
Atualizado em 27/03/2022 às 14:28
 (Reprodução MultiShow/Lollapalooza)

(Reprodução MultiShow/Lollapalooza)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) definiu multa de R$ 50 mil para qualquer manifestação que caracterize propaganda política no festival Lollapalooza, que está sendo realizado em São Paulo, neste fim de semana. A determinação é do ministro Raul Araújo, atendendo a pedido do Partido Liberal (PL), do qual o presidente Jair Bolsonaro é filiado.

De acordo com a decisão, o ministro entendeu que as declarações de artistas que se apresentaram no festival, entre eles a cantora Pablo Vittar, caracterizam propaganda eleitoral antecipada. Tais atos, no entanto, só serão permitidos a partir de 15 de agosto.

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PT-PE), foi as redes sociais e classificou a decisão do TSE de censura aos artistas. Segundo ele, “remonta o autoritarismo da ditadura e é completamente arbitrária, já que Bolsonaro nunca foi punido por fazer campanha antecipada”, disse.

A reportagem do Hoje Em Dia entrou em contato com a assessoria do festival Lollapalooza para que se manifestasse sobre a decisão do TSE, mas até o momento não recebeu resposta.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram momentos do festival no qual a plateia se manifesta com gritos contrários ao atual presidente brasileiro. Alguns artistas, como Emicida e Jão, também deixaram opiniões e chamaram os jovens a tirarem o título de eleitor e expressar posicionamento nas urnas.

A cantora britânica Marina foi outra que puxou xingamentos à Bolsonaro e ao presidente russo, Vladimir Putin.

 Leia Mais:

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por