120 mil usuários de ônibus vão ficar sem transporte em BH a partir desta quinta, diz sindicato

Luciane Amaral
lamaral@hojeemdia.com.br
12/01/2022 às 19:09.
Atualizado em 18/01/2022 às 00:53
 (SetraBH / divulgação)

(SetraBH / divulgação)

Duas concessionárias de ônibus que prestam serviços de transporte coletivo de passageiros em BH anunciaram que vão suspender as atividades a partir da madrugada desta quinta-feira (13). Segundo o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (SetraBH), na tarde desta quarta-feira (12), as empresas disseram que entraram em colapso, porque não têm recursos financeiros para comprar combustível e que falta óleo diesel em seus estoques. 

A Viação Transoeste possui 88 veículos no sistema da BHTrans, opera 28 linhas, sendo 5 compartilhadas e uma da rede de domingo. E atende as regiões Central, área hospitalar, Centro-Sul, BH Shopping e Anel Rodoviário. A empresa informou, que, a partir das 4h, todas as atividades serão suspensas por tempo indeterminado. 

Segundo o SetraBH, toda a região do Barreiro, uma das mais populosas da capital, será afetada. Em dias normais, cerca de 200 mil usuários utilizam o transporte coletivo na região e, no período de férias, o volume de passageiros sofre uma redução de até 40%. 

Outra empresa do sistema, que não teve o nome divulgado, também avisou que só tem estoque de diesel para operar até domingo (16). A concessionária pertence ao Consórcio Dom Pedro II, é de menor porte, com 18 veículos no sistema da BHtrans.

Em nota, o SetraBH lamentou a crise e disse que juntos com os Consórcios Dez e Dom Pedro II, tentam uma solução emergencial para a crise, junto ao “ poder concedente”. E criticou o contrato de concessão “há muito desequilibrado econômica e financeiramente”.

Ainda de acordo com o sindicato, no momento não há cenário de demissões, mas se a crise se agravar, isso deverá ser inevitável. Segundo a entidade, além dos insumos como o óleo diesel, que vem sofrendo aumentos constantes, o sistema está com dificuldade de manter os salários de seus funcionários em dia, devido ao “desequilíbrio econômico-financeiro dos contratos” e a pandemia, que provocou redução gigantesca do número de passageiros no transporte público urbano em todo o país.

As empresas, segundo o sindicato, dizem que “a conta não fecha, se algo não for feito para socorrer o sistema, outras empresas deverão anunciar em breve a suspensão de suas operações (...) colocando em risco os Consórcios". A nota lembra ainda que na cidade do Rio de Janeiro, recentemente três dos quatro consórcios operacionais entraram em recuperação judicial.

O SetraBH e os Consórcios Dez, Pampulha, Dom Pedro II e BH Leste disseram estar envidando esforços para uma solução urgente, mesmo tendo um contrato há muito desequilibrado econômica e financeiramente, na manutenção do serviço essencial à população.

A Prefeitura de Belo Horizonte confirmou que foi informada da decisão das empresas e está buscando uma solução para o problema de maneira que a população não saia prejudicada. O prefeito Alexandre Kalil vai se reunir com representantes do Setra, no COP BH, para discutir a questão.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte disse que usuários do Barreiro poderão ser atendidos pelas linhas metropolitanas que passam pela região.SetraBH / divulgação 

Empresas afirmam que não têm estoques de óleo diesel para manter operação em BH

Leia mais 

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por