Prefeituras de 337 cidades de Minas farão parte do consórcio para compra de vacinas contra a Covid-19 idealizado pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP). O prazo para os municípios manifestarem interesse na participação se encerrou nesta sexta-feira (5).

Nos próximos dias, as administrações que assinaram o termo de interesse receberão a minuta de um projeto de lei que deverá ser apreciado nas câmaras municipais para viabilizar a participação da cidade no grupo. A previsão é que a associação seja instalada até 22 de março.

Ao todo, 1.703 prefeitos de todo o Brasil confirmaram participação no negócio. Clique aqui e veja a lsita com todos os municípios que fazem parte do acordo.

Segundo a FNP, a iniciativa vai permitir que as gestões municipais possam comprar as vacinas caso o Plano Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde não seja capaz de atender toda a demanda de vacinação. Por isso, a aquisição das doses não será feita de forma imediata à criação do consórcio.

Ao menos três formas de financiar a compra das vacinas estão sendo avaliadas. Utilização de recursos do governo federal, financiamento por organismos internacionais ou doações de investidores privados brasileiros. Segundo a FNP, no primeiro momento não haverá custos aos municípios.

Nesta sexta, o presidente da Frente Nacional de Prefeitos, Jonas Donizette, ex-prefeito de Campinas, vai conceder entrevista para comunicar sobre os próximos passos para a instituição do consórcio público municipal. A coletiva está marcada para às 16h.

Leia mais:

Minas teve 100 mil novos casos da Covid-19 apenas nos últimos 20 dias
Minas registra mais de 7 mil casos de Covid-19 em 24 horas; número de mortes passa de 19,2 mil