Por questões de segurança, o acesso a Brumadinho está fechado neste domingo (27). O Corpo de Bombeiros orienta aos familiares de moradores da região a não se dirigirem para o local e recorrerem ao telefone para buscar contato de parentes desaparecidos. Moradores que não estão na região também não devem retornar à cidade para buscar pertences. 

A região está sendo isolada devido ao risco de um novo rompimento, que poderia atingir diversas comunidades e afetar cerca de 24 mil pessoas que vivem nas chamadas zonas críticas. São elas o Parque das Cachoeiras - que fica bem próximo à barragem VI -, a comunidade de Pires, o Centro de Brumadinho e o bairro Novo Progresso. 

O Corpo de Bombeiros atuou, mais cedo, na retirada das famílias do Parque das Cachoeiras, onde há 25 casas. A corporação orienta a população que vive nessas zonas a deixarem as casas e se dirigirem para um dos três pontos considerados seguros: a Igreja Matriz, o Quartel de Polícia Militar e o Morro do Querosene. 

A Cruz Vermelha Brasileira em Minas Gerais também alerta a população de Belo Horizonte e de outras localidades para não se dirigir ao município de Brumadinho, porque a presença de mais pessoas na cidade pode afetar o trabalho das equipes de emergência que estão trabalhando no atendimento humanitário. A entidade lembrou também que as doações não são necessárias e que os donativos em Brumadinho já são suficientes para o momento.

Leia mais:

Bombeiros suspendem buscas em Brumadinho devido a risco de novo rompimento
'Mineradoras preferem aumentar margem de lucro', diz deputado que previu tragédia
Cerca de 24 mil pessoas deixam casas localizadas em área de risco caso haja novo rompimento