Um dos acusados de ter participado das agressões que culminaram com a morte do fisiculturista Allan Guimarães Pontelo, em 2017, é julgado no 3º Tribunal do Júri, no Fórum Lafayette, no Barro Prato (Centro-Sul), nesta quinta-feira (26).

O julgamento estava programado para iniciar às 8h40, mas, conforme o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), atrasou e começou apenas às 10h. Até o momento, foram ouvidas duas testemunhas e, na sequência, será feito o interrogatório.

Não há previsão para término da audiência.

Em agosto, dois seguranças da boate onde ocorreu a morte de Pontelo foram condenados a 16 anos de prisão, em regime fechado. Eles ainda podem recorrer da sentença, que foi dada em primeira instância.

Assassinato

O crime aconteceu na madrugada de 2 de setembro de 2017, em uma boate localizada no bairro Olhos D’Água, na região Oeste de BH. Conforme o Ministério Público, Pontelo teria sido abordado por dois seguranças no banheiro da boate após uma denúncia de que estaria traficando drogas.

A vítima teria sido levada para uma área restrita e se recusado a ser revistada, sendo depois espancada até a morte.