Terminais vazios e pistas com poucos aviões. O Aeroporto Internacional de Confins viveu um mês atípico por conta da pandemia do novo coronavírus. Os voos diários caíram de 300 para 50 – uma redução de 83%. É a mesma proporção na queda na movimentação de passageiros. 

Dos 360 funcionários do aeroporto, 180 estão trabalhando em regime de home office, segundo a BH Airport, concessionária responsável pelo terminal. Apenas os profissionais dos serviços essenciais continuam trabalhando no local. 

Um dos principais motivos para a queda drástica na movimentação está relacionada à suspensão de todos os voos internacionais no Aeroporto de Confins. A determinação acontece desde o dia 24 de março. O último voo internacional realizado aconteceu no dia 23, vindo do Panamá, da empresa Copa Airlines. 
 

Confins


Reembolso 

Em 18 de março, por causa da pandemia do novo coronavírus, o governo federal editou uma medida provisória (MP) como forma de "salvar" economicamente o setor aeroportuário do país, permitindo que as companhias aéreas tenham até 12 meses para reembolsar os passageiros que tiveram suas viagens canceladas. 

Segundo a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) o setor registrou na segunda quinzena de março, em média, uma queda de 50% na demanda por voos domésticos e redução de 85% nas viagens internacionais, ante o mesmo período de 2019, por causa da pandemia do novo coronavírus.