Após o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, ter dito que as vacinas contra a Covid-19 podem ser incluídas no rol de compostos disponíveis nos planos de saúde, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) informou que avaliará o assunto, mas adiantou que a imunização é efetiva se conduzida de forma coletiva.

"Cabe lembrar que os imunizantes funcionam, de fato, quando considerados como medida coletiva, e não fragmentada em grupos específicos (nesse caso, os beneficiários de planos de saúde)", declarou, em nota.

O Ministério da Saúde confirmou que enviou, nesta segunda, um ofício à agência reguladora com solicitação de avaliação da inclusão das vacinas Fiocruz/AstraZeneca e Pfizer contra a Covid-19 no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde.

A ANS ainda explicou que recebeu o documento e que dará "atenção" à questão, verificando junto à Coordenação Nacional do Plano Nacional de Imunizações (PNI) a conduta mais adequada frente ao quadro de evolução das novas infecções pelo coronavírus. A agência não informou quando dará parecer sobre o tema.

"Tendo em vista que, até o momento, não há vacinas de cobertura obrigatória no Rol, o processo de incorporação representaria uma medida a exigir ampla participação de todos os envolvidos, bem como a simulação dos impactos possíveis na saúde pública", finalizou.

Leia mais:
Homem é detido por incendiar funerária; ele alegou ter entrado no local para 'fumar um baseado'
Credenciamento de instituições para o Trilhas do Futuro vai até 16/7
Explosão em fábrica de fogos deixa um morto em Lagoa da Prata, no Centro-Oeste do estado