O estoque de AstraZeneca em Minas para aplicação da segunda dose contra a Covid-19 só deve começar a ser normalizado nos próximos dias. Segundo o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, uma nova remessa do imunizante deve ser entregue pelo Ministério da Saúde durante o fim de semana. O quantitativo, porém, não foi divulgado. 

Conforme mostrou o Hoje em Dia nesta terça-feira (14), a AstraZeneca está em falta em alguns municípios mineiros, o que vem atrasando a conclusão do esquema vacinal de quem recebeu o imunizante.

O cenário, de acordo com o titular da pasta, pode ser atribuído ao atraso na entrega de insumos e descumprimento das regras do Programa Nacional de Imunização (PNI) pelos municípios. Durante entrevista coletiva realizada no início da tarde desta terça, Baccheretti informou que, "em hipótese alguma", as cidades podem utilizar os lotes enviados para aplicação da segunda dose como primeira. 

“Vários estados e alguns municípios estão na frente, muitas vezes, porque utilizam a segunda dose como primeira. E é o que estamos observando. Mas a nota técnica da secretaria respeita muito o que o PNI fala. Então a AstraZeneca é um ponto de atenção", disse. 

Ainda segundo o secretário, um intervalo maior entre as doses, devido ao atraso, não tem "nenhum prejuízo para a população”. “Houve queda de expectativa da entrega e alguns municípios estavam usando a entrega contínua para poder utilizar a D2 como D1, porque sabiam que sempre estava chegando. Então houve intervalo maior de vinda e está sendo um problema para alguns”, concluiu. 

Leia mais:
É provável que Minas já tenha transmissão comunitária da variante Mu do coronavírus, diz secretário
Mais 113 mil doses da vacina da Pfizer devem chegar a Minas nesta quarta, diz secretário de saúde
Minas registra 1.629 casos e 34 mortes por Covid em 24 horas