Após reunião realizada na tarde desta quinta-feira (14), envolvendo autoridades e entidades ligadas ao comércio e indústria de Itabirito, a prefeitura da cidade informou, via nota, “que vai acatar a determinação judicial de aderir ao programa Minas Consciente, do Governo Estadual”.

Mesmo assim, o executivo municipal avisa que também vai recorrer da decisão da Justiça, que determinou a volta das medidas restritivas no município localizado na Região Central de Minas Gerais. A liminar foi publicada nessa quarta-feira (13).

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) enviou o documento na íntegra à reportagem. "Importante destacar que, até a edição desse Decreto, o Município ainda não tinha confirmado nenhum caso de coronavírus. Ocorre que, após a edição, houve a confirmação de dois casos, como bem salientado pelo Ministério Público”, diz parte do texto.

Entenda o caso

A prefeitura de Itabirito liberou o retorno das atividades não essenciais de comércio, serviço e indústria na cidade no último dia 28. No entanto, o Ministério Público moveu uma ação contra o município.

Nessa quarta-feira veio a decisão da volta das medidas restritivas. O juiz Antônio Francisco Gonçalves determinou que Itabirito se adeque às regras do decreto do governador Romeu Zema (Novo), contra a Covid-19, no dia 15 março.

Itabirito