Os fiscais da Agência Nacional de Mineração (ANM) já estão na cidade de Congonhas, na região Central de Minas, onde um tremor de terra com magnitude 3,2 na escala Richter assustou moradores, na noite dessa segunda-feira (25). A principal preocupação é com os vizinhos da barragem Casa de Pedra da mineradora CSN, uma das maiores construídas em área urbana no país. Os fiscais também vão visitar a barragem da Vale, que também atua na região.

De acordo com chefe do setor de fiscalização de barragens da ANM, Wagner Araújo, que esteve na Casa de Pedra na manhã desta terça, não foram verificadas anomalias na estrutura. Ele destacou que a barragem foi construída a jusante, uma forma de construção considerada mais segura do que a que se rompeu em Brumadinho, a montante. Na parte da tarde, ele vai vistoriar a estrutura da mineradora Vale. E no fim do dia, a ANM vai soltar um balanço das visitas.

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) se deslocou para a cidade ainda na noite de segunda, onde fez contato com a CSN e com a Vale, que também tem barragem na região. De acordo com tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador-adjunto da Cedec, as empresas informaram que não foi registrada nenhuma anomalia nas estruturas. 

A Vale informou que não havia sido encontrada nenhuma anomalia nas estruturas geotécnicas na barragem que pertence a ela até a tarde desta terça. O local é vistoriado pelo centro de monitoramento geotécnico da companhia.. A reportagem procurou também pela CSN e aguarda retorno.

O que significa 3,2 na Escala Richter?

Atualmente não há um ponto máximo na Escala Richter. Mas como base são usados os registros mais altos de 9,5, na Costa do Chile e no Japão, responsáveis por grandes tragédia. 

De acordo com o geofísico Juraci Carvalho, do Observatório da UnB, o tremor registrado em Congonhas é considerado baixo. "É uma sismo de magnitude pequena, que normalmente não deveria causar nenhuma preocupação se as edificações forem construídas com as boas práticas de engenharia", afirmou.

com informações de Bruno Inácio

Leia mais:
Tremor de terra em Congonhas deixa vizinhos de barragem em alerta