Após a suspeita de o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), ter sido contaminado pelo novo coronavírus - o resultado do exame sai ainda nesta sexta-feira (13), ele se manifestou, com máscara de proteção, por meio de um vídeo publicado em suas redes sociais, no qual sugere o adiamento das manifestações que ocorreriam no domingo (15). Por causa do aumento no número de casos do coronavírus e o estado de alerta da população, "manifestações devem ser repensadas", disse o chefe do Executivo. 

Com isso, o protesto pró-Bolsonaro que aconteceria na Praça da Liberdade, em Belo Horizonte, foi cancelado e não tem nova data para acontecer. Segundo o coordenador do movimento Direita Minas, Josimar Ferreira, de 32 anos, o cancelamento se deu "por orientação do presidente". 

Marcada para acontecer em pelo menos outras 23 cidades mineiras, as manifestações pró-Bolsonaro que, originalmente foram convocadas contra o Congresso e o Supremo Tribunal Federal (STF), também devem ser cancelada em todas elas, já que são organizadas, em sua maioria, pelo mesmo movimento. 

Leia mais:
Bolsonaro pede que população repense ida a manifestações de domingo
Trump diz não estar preocupado com infecção pelo novo coronavírus
Presidência confirma que Wajngarten testou positivo para Covid-19