Em audiência do processo que apura os danos causados pelo rompimento da barragem de rejeitos da mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a Justiça escutará nesta terça-feira (20) três novas testemunhas arroladas pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). A audiência acontece a partir das 13h na 6ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias da capital, e será presidida pelo juiz Elton Pupo Nogueira.

"Será também assinado termo de cooperação técnica elaborado por membros do Comitê Técnico Científico da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A universidade vai produzir pesquisas sobre as consequências do rompimento e propor soluções para os problemas encontrados", informa o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). 

Ainda conforme o órgão, no dia 26 de setembro deste ano uma nova audiência terá os depoimentos de outras nove pessoas. Recentemente outras dez testemunhas, arroladas pela Defensoria Pública, foram ouvidas no dia 5 de agosto e, no dia 6, outras três pessoas arroladas pelo MP prestaram depoimento.

Estas audiência tratam especificamente sobre a apuração dos danos ambientais causados pela mineradora Vale. 

Leia mais:
Maior simulado da história, ação em Itabira será a nona do tipo desde o início do ano
Justiça suspende liminar que obrigava mineradora a pagar aluguel de escolas em Congonhas
Brumadinho teme nova ruptura de barragem e cobra ações de empresa