O avião que caiu na manhã desta segunda-feira (21) no bairro Caiçara, região Noroeste de Belo Horizonte, não possui caixa-preta. A informação é de técnicos do Centro de Investigação e Prevenção em Acidentes Aeoronáuticos (Cenipa).

Segundo o órgão, aviões particulares de pequeno porte não são obrigados a ter caixa-preta. Por isso, os investigadores vão trabalhar com documentos que puderam ser recuperados, como registros das rotas de voo, que foram encontrados pelos peritos, além de alguns equipamentos da cabine.

cenipa avião caiçara

Peritos do Cenipa recolheram material no local da queda

O especialista em gerenciamento de projetos do Cenipa Adilson Paradellla diz que a falta de caixa-preta dificulta as investigações, mas não as inviabiliza. “Com a caixa-preta, certamente as investigações são mais rápidas porque envolvem as conversas do piloto com a torre. Mas há outros caminhos de investigação”, afirmou.

Acidente

A queda do avião deixou três mortos e três feridos. Antes de cair, a aeronave atingiu a rede elétrica e explodiu. Três carros foram destruídos pelas chamas. Os momentos da decolagem e da queda foram registrados por moradores do Caiçara.

O acidente aconteceu  no cruzamento das ruas Minerva com Rosinha Sigaud, próximo ao Aeroporto Carlos Prates. Os destroços ficaram espalhados na rua e uma densa fumaça escura tomou conta da região.

As três vítimas foram socorridas e levadas para o Hospital de Pronto-Socorro João XIII. Os três corpos foram resgatados e encaminhados para o Instituto Médico Legal de BH.

Queda aviãoClique para ampliar a imagem

Leia mais:
Baixa altitude impediu que paraquedas salvasse avião, apontam técnicos
Moradores organizam protesto após queda de avião no Caiçara: ‘mais segurança’

Confira imagens da retirada dos destroços: