O Estado apresentou detalhes nesta quarta-feira (29) da reformulação do Minas Consciente, programa que determina as normas para flexibilização das medidas restritivas adotado em virtude da pandemia do novo coronavírus. Uma das novidades e que nas cidades com até 30 mil habitantes que saírem da Onda Vermelha (serviços essenciais) e avançarem para a Onda Amarela (flexibilização de alguns setores) poderão permitir a abertura de bares e restaurantes para consumação no local.

“Os bares e restaurantes poderão funcionar somente delivery se estiver na Onda Vermelha e, passando para as ondas Amarela e Verde, poderá haver consumo no local, respeitando todas as orientações do protocolo único que estará disponível no site”, explicou o secretário-adjunto de Desenvolvimento Econômico do Estado, Fernando Passalio.

Ainda segundo o secretário, essas medidas passam a valer a partir do dia 1º de agosto.

Os pequenos municípios, que representam 85% das 853 cidades mineiras, poderão avançar de onda no programa se apresentarem, nos últimos 14 dias, uma taxa inferior a 50 casos confirmados de Covid por 100 mil habitantes. Isso mesmo se a região onde estão inseridos estiver em uma onda (que reúne protocolos de abertura) diferente. Os critérios utilizados para avanço ou retrocesso nas regiões continuam sendo os mesmos, como a taxa de transmissão da doença e de ocupação de leitos.

O novo protocolo, que considerou uma consulta pública com 630 contribuições, pretende adequar as regras ao momento de platô da pandemia no Estado, que indica estabilidade no número de novos casos e óbitos. Para definir as mudanças, também foi considerado o aumento de 71,8% no número de leitos de UTI na rede pública de Saúde nos últimos três meses. 

Nesta quarta-feira, a taxa de ocupação geral de leitos de UTI atingiu a marca de 67,44%. Minas tem 119.394 casos confirmados do novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). O número de mortos também disparou no território mineiro. Em um dia, 57 óbitos foram notificados. Com isso, já são 2.608 vidas perdidas desde o início da pandemia.

Novas ondas do plano:

Onda 1 - Vermelha – Serviços essenciais (supermercados, padarias, farmácias, bancos, depósitos de material de construção, fábricas e indústrias, lojas de artigos de perfumaria e cosméticos, hotéis e bares e restaurantes com delivery e retirada) 

Onda 2 – Amarela – Serviços não essenciais ( lojas de artigos esportivos, eletrônicos, floriculturas, autoescolas, livrarias, papelarias, salões de beleza

Onda 3 – Verde – Serviços não essenciais (academias, teatros, cinemas, clubes)

Atividade especial
Escolas (seguirão regras específicas)

*Com Cinthya Oliveira