No primeiro sábado (24) de flexibilização do comércio, as ruas do Centro de Belo Horizonte ficaram movimentadas durante toda a manhã.  O vai e vem de pessoas foi intenso nas avenidas Amazonas, Afonso Pena e nas ruas Curitiba e São Paulo.

Lojas de rua, shoppings, restaurantes, academias e salões de beleza voltaram a funcionar na última quinta-feira (22) após quase 50 dias de fechamento.

Pelos registros feitos pelo fotógrafo Lucas Prates no hipercentro, apesar do movimento, a grande maioria das pessoas usava máscaras, uma das medidas mais eficazes de proteção para evitar o contágio do coronavírus.

E mesmo com flexibilização, os consumidores não estavam muito animados e algumas lojas ficaram vazias. Tudo o que não era considerado essencial estava fechado na capital mineira desde 6 de março. Em 19 de março, o prefeito Alexandre Kalil (PSD) anunciou a flexibilização, justificando a decisão com a melhora nos indicadores da pandemia.

Em Belo Horizonte, a taxa de ocupação de leitos de UTI Covid está em 81,8%. Já o índice de enfermaria está em 58,6%. A cidade tem 169.676 moradores infectados e 4.105 óbitos.