A prefeitura de Belo Horizonte autorizou a presença de 100% dos estudantes nas salas de aula da capital. A medida será publicada no Diário Oficial do Município nesta quarta-feira (6), e passará a valer em toda a cidade a partir de 18 de outubro.

Entre as alterações citadas pelo executivo municipal, é destacado o fato de que "cada turma passa a ser uma bolha, que deverá manter o distanciamento com os alunos das demais salas". Atualmente, o distanciamento recomendado entre alunos dentro da sala de aula é de 1m. Com padronização de regras, também serão permitidos o uso do ar condicionado, da sala dos professores e a realização de eventos escolares. 

A decisão, segundo a PBH, foi baseada na estabilidade dos indicadores epidemiológicos e assistenciais na capital. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a taxa de transmissão do vírus está atualmente em 1,03 em BH - o valor representa alerta amarelo na classificação do órgão. A ocupação dos leitos para Covid-19 na UTI e nas enfermarias também foi ressaltada pela prefeitura. Os índices, que estão no nível verde, marcam atualmente 42,4% e 33,3%, respectivamente.

Confira as principais alterações para as escolas, válidas a partir de 18 de outubro em BH:

  • Será permitida a ocupação de 100% das turmas presencialmente. Cada turma passa a ser uma bolha, que deverá manter o distanciamento com os alunos das demais salas
  • Permissão de uso de ar condicionado, com padronização de regras
  • Permissão para uso da sala de professores, respeitando-se as regras de distanciamento de um metro entre as pessoas
  • Permissão para realização de eventos escolares, respeitando as regras estabelecidas em protocolos para eventos semelhantes
  • Fim da proibição de atividades desportivas de contato e a escovação de dentes
  • Liberação dos parquinhos, atualmente restrito às crianças de 3 a 8 anos, para as demais idades
  • Fim da obrigatoriedade de quarentena para os livros devolvidos à biblioteca
  • Fim da obrigatoriedade de horário fixo por turma para uso do banheiro

Leia mais:
Aeroporto da Pampulha é arrematado por R$ 34 milhões pelo mesmo grupo que controla Confins
Copasa descarta racionamento de água na Grande BH até o próximo ano