A luta contra o novo coronavírus ganhou mais um capítulo em Belo Horizonte. Nesta quinta-feira (26), ruas e avenidas da metrópole começaram a ser esterilizadas para matar o vírus transmissor da Covid-19. A desinfecção está sendo feita por agentes da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) e, neste primeiro dia, aconteceu ao redor de hospitais localizados na região Centro-Sul.

Nos próximos dias, outros pontos também vão receber a higienização. "Outros locais serão contemplados, a partir de novas avaliações técnicas mais detalhadas. O planejamento, com todos os locais a serem contemplados, já está em fase final de elaboração", explicou o executivo. 

A mistura que está sendo jogada nas vias do município leva cloro, sabão e água. Depois, mais um jato de água é arremessado para tirar o excesso de produto. E, como toque final, desinfetante é lançado para garantir a exterminação do vírus e deixar um cheiro agradável na cidade. Assista abaixo como a lavação está sendo feita:


Durante a tarde, receberam a esterilização o Centro de Especialidades Médicas, o Ipsemg e a Maternidade Otaviano Neves. "A proposta é que a desinfecção desses lugares colabore para a diminuição das chances de contaminação dos cidadãos pelo Coronavírus", reforçou a prefeitura.

O serviço, destacou a SLU, se soma as ações rotineiras de limpeza que já eram desenvolvidas em BH. "Está realizando, em caráter extraordinário, a lavação de alguns pontos considerados estratégicos na prevenção da proliferação da Covid-19". pontuou a PBH.

Isolamento

Há nove dias BH vive um isolamento social para tentar conter o avanço do novo coronavírus. No último dia 18, as aulas foram interrompidas. Dois dias depois, alguns seguimentos de lojas, além de academias, salões de beleza, restaurantes e lanchonetes também foram fechados por tempo indeterminado. 

Por determinação do Executivo municipal, vários centros comerciais tiveram os alvarás provisoriamente suspensos e estão impedidos de funcionar. A decisão, conforme o prefeito Alexandre Kalil, foi adotada para impedir a aglomeração de pessoas e forçar uma quarentena.

A decisão drástica de tentar isolar BH tem motivos. Em Minas são 133 confirmações da doença, sendo 96 na capital mineira - que registra a contaminação voluntária da doença. No Brasil, são mais de 60 mortes.

Leia mais:
Coronavírus muda rotina de agentes de combate a endemias, mas 'caça' ao Aedes continua em BH
Cerca de 3 mil foram demitidos após fechamento de hotéis em BH e região, afirma associação
Com menos passageiros, sindicato não descarta cortar circulação de ônibus à noite em BH