A escala mínima das viagens exigida pela Justiça do Trabalho durante a greve dos motoristas de ônibus em Belo Horizonte, serão monitoradas pela BHTrans a partir desta quinta-feira (2). De acordo com a prefeitura, as empresas de transporte coletivo da capital deverão manter, pelo menos, 60% do serviço em operação.

A retomada da paralisação das atividades dos profissionais vai começar à meia noite desta quinta-feira e não tem previsão para ser encerrada. A decisão foi tomada pelo Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário de BH (STTR-BH), com aval da categoria que rejeitou a proposta de reajuste salarial e de benefícios, apresentada na terça-feira (30) pelo Sindicato das Empresas de Transporte Público (Setra-BH). 

De acordo com o Setra, foi proposto um reajuste de 9%, além da correção nos auxílios alimentação, entre outras reivindicações da categoria. Conforme o sindicato, o índice apresentado foi o mesmo aprovado pelos nove sindicatos de trabalhadores do transporte público da Região Metropolitana de BH. 

Para o presidente do STTR-BH, Paulo César Salomão, a proposta não foi inteiramente ruim, mas, sem mudanças no intervalo, que é a principal reivindicação dos profissionais, não há conversa. “O trabalhador está insatisfeito após dois anos sem reajuste e depois de mais de um mês de negociações”, afirmou.

Leia mais
Motoristas de ônibus rejeitam proposta, e greve deve ser retomada em BH na madrugada desta quinta
Metrô de Belo Horizonte terá mais trens e redução no tempo entre viagens nesta quinta