O desfile do bloco "Roda de Timbau", também conhecido como "A Roda", levou alegria e arrastou uma multidão no bairro Floresta, região Leste de BH, na noite de quinta-feira (20). Mas a festa terminou com medo e revolta por parte de alguns foliões.

Integrantes do grupo carnavalesco informaram que a Polícia Militar encerrou o cortejo de forma "desmedida e desproporcional". Já a corporação, garante que atuou para garantir a segurança, respeitando os horários previstos para o término da festa.

O bloco é um dos que tiveram problemas com a apreensão de carros de som. Para manter o desfile, fizeram uma vaquinha e contrataram outro veículo. Por causa do imbróglio, a festa começou com atraso de quase duas horas. 

Às 22h, segundo relatos de testemunhas, a PM se posicionou em frente ao veículso e ordenou o encerramento. Nas redes sociais, "A Roda" se manifestou, repudiando a medida. "Porque estão nos calando, nos impedindo de cantar, de pular, de dançar, de tocar e de gritar contra toda essa censura", questionou.

WhatsApp Image 2020-02-20 at 19.54.08 (1).jpeg
Cortejo desfilou pela rua Sapucaí, no bairro Floresta

Em outro trecho, o grupo criticou ainda mais a corporação. "O medo de uma postura de violência desmedida e desproporcional materializada pelos policiais armados, empunhando armas de fogo em meio a uma festa que só trazia música, arte, alegria e consciência política", diz o comunicado.

Por nota, a PM garantiu que o encerramento do cortejo não teve relação com manifestações políticas. "A atuação dos militares foi para garantir a segurança do bloco para o desligamento do som no horário previsto, às 22h".

A corporação destacou que os horários precisam ser respeitados "já que todos os serviços públicos se planejam para cumpri-los. O atraso no encerramento pode ensejar deficiência na prestação de serviço dos vários órgãos envolvidos".

Veja abaixo o comunicado do grupo: