Bloco Então, Brilha! se diz contra eventos pagos no Carnaval de 2022; 'privatização da alegria'

Raquel Gontijo
raquel.maria@hojeemdia.com.br
07/12/2021 às 16:40.
Atualizado em 14/12/2021 às 00:36
 (Frederico Haikal/ Hoje em Dia)

(Frederico Haikal/ Hoje em Dia)

O Então, Brilha!, um dos maiores e mais tradicionais blocos de rua do Carnaval de Belo Horizonte publicou nesta terça-feira (7) um manifesto contra a realização de eventos privados, com venda de ingressos, para a folia de 2022. A nota diz que há interesses políticos e econômicos para uma "privatização" da festa popular, transformando o evento em um "blocódromo".

A principal crítica do Então, Brilha! é que não são apenas os indicadores epidemiológicos que influenciam a realização da festa pelos gestores públicos. Segundo o manifesto, "interesses políticos e econômicos atuam com grande força sobre essa decisão".

O grupo cita, por exemplo, que apesar do anúncio da Prefeitura de Belo Horizonte de não patrocínio ou abertura de edital para o Carnaval de 2022, o prefeito Alexandre Kalil (PSD) declarou que não impedirá as manifestações espontâneas que vierem a ocorrer nas ruas, e que eventos privados estão permitidos, desde que sigam as medidas sanitárias. O posicionamento também é reproduzido pela maior parte das cidades mineiras.

Outro ponto criticado pelo bloco é que quem pode pagar comparecerá aos eventos privados com a falsa ideia de segurança sanitária e, quem não pode, irá para as ruas, sem estrutura e sem garantia dos serviços públicos organizados para os dias da folia, como, por exemplo, a presença de forças policiais.

A nota do Então, Brilha! cita também o governo do Estado, na figura do secretário estadual de saúde, Fábio Baccheretti. Em declarações recentes, o secretário sugeriu que o Carnaval aconteceria de qualquer forma nas ruas e que, portanto, "é melhor organizá-lo para reduzir os riscos à segurança e saúde pública".

Segundo o bloco, tais políticas são danosas para os processos e expressões culturais da cidade, pois fortalecem a tendência de transformar a festa popular, uma manifestação cultural, em balcão de eventos. "O Então, Brilha! seguirá em defesa das liberdades, das ruas, da cultura e contra a privatização da alegria e da festa popular (…) Somos das ruas, lá é o nosso lugar. Não participaremos de circuitos fechados de blocos e nem de blocódromos. Nossa banda continuará a fazer shows em eventos que entendemos não estar na mão dessa privatização que aqui criticamos".

O manifesto defende ainda que esse posicionamento desconsidera "a liberdade das pessoas em exercer seus direitos de livre expressão artística, política e cultural e de ir e vir".

O final da nota o Então, Brilha! afirma que o bloco está avaliando se irá ou não sair em cortejo no sábado do Carnaval 2022, dia que ele tradicionalmente desfila na capital.

A íntegra do manisfesto pode ser acessado no site do bloco Então, Brilha!.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por