As fortes chuvas que atingem Belo Horizonte desde o início de fevereiro vêm causando transtornos na capital. Uma das avenidas mais atingidas é a Tereza Cristina, onde a grande precipitação nesta sexta-feira (19) fez com que o asfalto virasse um mar de lama, repleto de buracos, deixando o trânsito lento em vários pontos da via.

Nessa quinta-feira (18), a Defesa Civil chegou a bloquear um trecho da Tereza Cristina, na região do Barreiro, em razão do alto risco de transbordamento do córrego Ferrugem e do ribeirão Arrudas, fato que se tornou corriqueiro durante dias de muita chuva.

 

Outro local que sentiu os efeitos do excesso de água foi a avenida Nossa Senhora do Carmo, na região Centro-Sul da capital. Na manhã desta sexta, ocorreu o início de um deslizamento de barranco de terra, que atingiu uma passarela em frente à Vila Santa Lúcia.

Investimentos

Nessa quinta, o governador Romeu Zema (Novo) afirmou que vai destinar parte dos recursos provenientes das medidas de reparação da mineradora Vale para obras de combate às enchentes na avenida Tereza Cristina.  

"Reservamos, dentre as medidas de reparação da Vale, R$ 298 milhões para ajudar a solucionar o problema de enchentes no córrego Ferrugem e avenida Tereza Cristina, em Contagem e BH. O Estado mantém diálogo com as prefeituras dessas duas cidades para levar adiante essa solução", disse Zema.

Ainda segundo o governo de Minas, além da construção de bacias de contenção no córrego Ferrugem, os recursos do Estado serão aplicados na finalização de bacias no córrego Riacho das Pedras, em Contagem, e na construção de unidades habitacionais para realocar famílias removidas das áreas de inundação.

Risco geológico

A previsão de mais chuva em Belo Horizonte nos próximos dias fez com que a Defesa Civil emitisse um alerta geológico para a cidade válido até a próxima quarta-feira (24). O órgão recomenda atenção ao grau de saturação do solo e nos sinais construtivos.

De acordo com o Instituto Climatempo, a previsão é de que caia 67 mm de chuva na capital entre esta sexta e o próximo domingo.

Prefeitura de BH

Questionada pelo Hoje em Dia sobre os efeitos da chuva na cidade, a Prefeitura de Belo Horizonte afirmou, por meio de nota, que por meio da Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap), após os eventos de chuvas ocorridos neste início de 2021, equipes atuaram na limpeza da avenida Teresa Cristina e no restabelecimento das condições seguras de trafegabilidade ao local, minimizando o risco de acidentes, com a execução de serviços de limpeza e remoção de placas de asfalto.

Ainda segundo a PBH, foram feitas as desobstruções de bocas de lobo e recolocação de grelhas, sendo executado também o serviço provisório de "salgamento" (lançamento manual de asfalto) nos trechos mais danificados para proteger a base do pavimento, serviço que terá de ser refeito após o período chuvoso.

A Prefeitura estima um investimento de R$130 mil nesses serviços provisórios, durante o período de chuvas, e prevê, até agora, 1,5 km de via a ser recuperada, que corresponde ao percurso da avenida Eliseu Resende até a rua das Canoas, na região do bairro Betânia.

Após a janela de maior incidência de chuvas, a previsão é do gasto de R$ 1,5 milhão para o recapeamento definitivo, a ser executado via contrato emergencial.