O Corpo de Bombeiros fez um resgate nesta sexta-feira (8), em uma das 20 frentes de trabalho na lama de Brumadinho, com a ajuda do cão farejador Hunter. A corporação não especificou se foi um corpo ou um segmento de restos mortais.

Segundo o tenente-coronel Anderson Passos, nas buscas por desaparecidos na lama após o rompimento da barragem da Vale, que já deixou 197 mortos, uma média de 70% dos resgates são indicados pelos cães.

“A gente considera esse cão aí, o Hunter, na verdade, o binômio (definição que se dá para a dupla cão e condutor), um dos melhores binômios do Brasil, que é de Santa Catarina. Estão fazendo um trabalho excepcional”, explica o coordenador das buscas.

Hunter é labrador e integra a equipe de sete cães e 140 homens que trabalham na localização de corpos soterrados. 

O cachorro é treinado para indicar a presença de corpos pelo cheiro. Em seguida, os bombeiros marcam os pontos e retornam aos locais com equipes maiores e maquinários para fazer a escavação.

“Os cães ficam percorrendo as áreas onde o terreno está mais seco e por isso estávamos fazendo a drenagem, fazendo as valas para escorrer a água e o bombeamento para que o local fique mais seco e o cão tenha o faro melhor”, conclui Passos.

Veja nas artes dos bombeiros abaixo como o solo seco ajuda os cães a farejarem melhor:

cães


Leia mais:
Vale afasta mais dez funcionários após nova recomendação da força-tarefa de Brumadinho
Bombeiros fazem drenagem e abertura de canais em busca de corpos em Brumadinho; veja vídeo
Defensoria Pública desmente boato sobre cadastro de atingidos em Brumadinho