Uma programação virtual, desenvolvida em rede pelos Centros Culturais de Belo Horizonte, está sendo oferecida de forma gratuita pela prefeitura da capital mineira. Serão cerca de 30 atividades por semana, voltadas a todos os públicos e em diversas linguagens artísticas, como música, dança e artes visuais, além de oficinas de inclusão digital.

O projeto foi iniciado na última segunda-feira (10) e terá a programação atualizada de forma semanal. A criação da programação virtual, segundo informou a PBH, marca o retorno das atividades dos Centros Culturais descentralizados, geridos pela prefeitura e espalhados por todas as regionais da cidade.

Voltados ao desenvolvimento cultural e à valorização das identidades das comunidades onde estão inseridos, estes espaços estão fechados ao público desde março de 2020 devido às medidas sanitárias de combate e prevenção à Covid-19. 

“A oferta de atividades on-line dos Centros Culturais reforça os vínculos e fortalece a produção cultural das comunidades onde estes espaços estão presentes, promovendo a cidadania por meio da formação para as artes, fomento, difusão, promoção da leitura, memória e patrimônio cultural, mesmo diante da impossibilidade do encontro presencial que persiste em razão da pandemia”, afirmou Fabíola Moulin, secretária municipal de Cultura e presidenta interina da Fundação Municipal de Cultura.  

A grande parte das atividades é realizada por meio de encontros ao vivo e as inscrições devem seguir orientações de cada uma delas. Os links para participação serão disponibilizados após o registro, que pode ser feito por meio do e-mail de cada Centro Cultural ou pelo portal da prefeitura. Outras atividades serão realizadas por meio de vídeos gravados, disponibilizadas no canal da Fundação Municipal de Cultura no Youtube e pelas redes sociais.

Confira a programação completa e as informações para inscrição aqui.

Leia mais:
Mais de 90% dos casos da síndrome rara ligada à Covid-19 são de crianças sem comorbidades
Covid-19: BH vacina nesta quarta pessoas de 50, 51 e 52 anos com comorbidades
Cidades da Grande BH podem ser acionadas na Justiça sobre protocolo de volta às aulas